Ibovespa
119.293,04 pts
(-0,24%)
Dólar comercial
R$ 5,43
(0,80%)
Dólar turismo
R$ 5,63
(0,84%)
Euro
R$ 5,82
(1,07%)

Governo de São Paulo inicia estruturação do novo Plano de Logística e Investimentos

Projeto visa, entre outras medidas, otimização da matriz modal, com maior participação de ferrovias e hidrovias
Por Redação em 14 de abril de 2023 às 12h00
Governo de São Paulo inicia estruturação do novo Plano de Logística e Investimentos

O governo de São Paulo iniciou a estruturação do novo Plano de Logística e Investimentos. As diretrizes foram apresentadas, nesta quinta-feira (13), na Secretaria de Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística (Semil). O último estudo com foco na logística do estado foi realizado em 2000.

Entre as propostas que serão estudadas estão a otimização da matriz modal, a equidade no acesso ao transporte, a partir da redução das desigualdades regionais, e a melhoria do bem-estar da população, por meio da redução de emissões, tempos de viagem, custos logísticos e de acidentes. O plano será concluído em 2025.

"A logística olha muito a estrutura de redes, nós, gargalos, ofertas e demandas. Precisamos otimizar a nossa matriz, que sabemos ser desbalanceada. Este é um plano de Estado, que será construído com diálogo, característica deste governo", afirmou a secretária de Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística, Natália Resende, em alusão à diferença de participação de cada modo de transporte na matriz paulista. Dados mais recentes divulgados pela Semil mostram concentração de 79,6% de participação no rodoviário, contra 12,6% em ferrovias e apenas 0,31% nas hidrovias.

LEIA TAMBÉM: Governo Federal deve garantir R$ 6 bi para infraestrutura nos primeiros 4 meses do ano

"O investimento na melhoria da navegabilidade da hidrovia Tietê-Paraná é um exemplo de ação estruturante em andamento e, com a participação de todos, queremos chegar a um resultado dinâmico e consistente, com outras medidas de curto, médio e longo prazo", acrescentou a secretária.

O novo plano ainda levará em consideração a estimativa de viagens rodoviárias no estado, com 3 bilhões de deslocamentos registrados em 12 meses, pelo projeto Big Data, a partir de uma base de rastreamento de 24 milhões de usuários. Segundo a secretaria, o  levantamento mostra, em mapas, onde se concentram os deslocamentos com diferentes categorias de veículos e de cargas, o que facilita a análise de gargalos e da desigualdade regional.

Também será considerado no plano, o Inventário de Emissões do Transporte Regional, concluído este ano. Os dados revelam, por exemplo, o volume de emissões de poluentes pela frota de veículos, associando-o também à velocidade média desempenhada. Pelo estudo, o custo médio por tonelada de poluente emitido, hoje, é de R$ 82,1 mil.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar