Ibovespa
129.418,73 pts
(-0,63%)
Dólar comercial
R$ 4,99
(0,80%)
Dólar turismo
R$ 5,18
(0,71%)
Euro
R$ 5,40
(0,80%)

Ministro da Agricultura defende investimentos em infraestrutura para fortalecer agronegócio brasileiro

Carlos Fávaro destaca importância da logística para enfrentar desafios e aproveitar oportunidades no mercado global
Por Redação em 7 de fevereiro de 2024 às 10h49
Ministro da Agricultura defende investimentos em infraestrutura para fortalecer agronegócio brasileiro
Foto: Reprodução/Pixabay
Foto: Reprodução/Pixabay

O ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, enfatizou a necessidade de investimentos em infraestrutura e logística para impulsionar a competitividade do agronegócio no Brasil. Durante o evento de apresentação do Plano Nacional para o Escoamento da Safra 2023/24, em parceria com os ministérios dos Transportes e de Portos e Aeroportos, Fávaro ressaltou que a expansão das aberturas de mercado - nove novos mercados foram acessados em janeiro deste ano - exigirá uma capacidade ainda maior das estruturas nacionais para exportação.

"A abertura de mercado trará resultados positivos para a balança comercial, mas também apresentará desafios logísticos", afirmou Fávaro. Ele destacou que nada é mais crucial para a competitividade do que a infraestrutura e a logística eficientes, acrescentando que planeja visitar o Porto de Santos (SP) ainda em fevereiro.

O ministro também comentou sobre os resultados dos investimentos públicos de R$ 3,6 bilhões realizados em infraestrutura e logística em 2023. Segundo ele, esses investimentos beneficiaram áreas produtivas e ajudaram a mitigar impactos negativos nos preços das commodities.

Fávaro ressaltou que uma infraestrutura eficiente desempenha um papel fundamental na formação dos preços, especialmente no que diz respeito ao custo do frete. Ele alertou que, sem as condições adequadas de infraestrutura rodoviária, os preços das commodities, como a soja, poderiam estar abaixo do custo de produção.

Sobre a previsão de quebra de safra no Brasil, Fávaro mencionou a importância de dimensionar o tamanho dessa redução. Ele defendeu a metodologia aplicada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para o levantamento de informações sobre a safra, destacando que uma postura mais conservadora ajuda a consolidar dados e orientar o mercado com mais segurança.

Apesar da quebra consolidada da safra, Fávaro observou que os preços das commodities não têm reagido, em parte devido à conjuntura mundial, como a recuperação da produção de soja na Argentina.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar