Ibovespa
119.630,44 pts
(0,41%)
Dólar comercial
R$ 5,43
(0,22%)
Dólar turismo
R$ 5,63
(0,04%)
Euro
R$ 5,83
(0,26%)

Ruanda lança primeira rede de entregas emergenciais com drones

Serviço desenvolvido pela Zipline garante até 150 voos diários em caso de emergências médicas
Por Redação em 18 de outubro de 2016 às 11h18

Foi lançado neste mês de outubro o primeiro serviço de entregas com drones em Ruanda, durante uma cerimônia realizada no distrito central de Muhanga. Desde o dia 14, o governo do país passou a utilizar drones para fazer até 150 entregas urgentes e on-demand por dia de bolsas de sangue em 21 instalações de transfusão localizadas na parte ocidental do território ruandense.

zipline-capa

Os drones e o serviço de entrega são construídos e operados pela Zipline, uma empresa de robótica com sede na Califórnia. Enquanto o serviço de entregas com drones focará, inicialmente, no transporte de sangue, uma parceria existente entre a UPS, a Gavi (Aliança Global para Vacinas e Imunização) e a Zipline vai ajudar o país a expandir rapidamente o serviço a todos os tipos de medicamentos e vacinas, essenciais para a sobrevivência da população, passíveis de serem transportados por drone.

“Os drones são recursos de grande utilidade, tanto a nível comercial como para melhorar os serviços do setor de saúde. Estamos muito felizes e orgulhosos em lançar essa tecnologia inovadora e por continuar a trabalhar com os nossos parceiros no seu desenvolvimento”, afirma o presidente de Ruanda, Paul Kagame.

Em todos os países em desenvolvimento, o acesso a produtos de saúde críticos e que podem salvar vidas é prejudicado pelo conhecido last-mile problem (o problema da última-milha): a incapacidade de transportar os medicamentos necessários de uma cidade para locais rurais ou remotos, devido à ausência de transporte adequado, de comunicação e de infraestrutura de supply chain.

A rede nacional de entregas com drones em Ruanda permite que todas as clínicas de transfusão de sangue no ocidente do país possam efetuar pedidos de emergência, por mensagem de celular. Esses pedidos são então recebidos pela Zipline em seu centro de distribuição localizado na região de Muhanga, onde possui uma frota de 15 drones, chamados Zips.

Cada Zip pode voar até 150 km, num percurso de ida e volta, mesmo com vento e chuva, e transportar 1,5 kg de sangue, o que é suficiente para salvar a vida de uma pessoa. Os Zips se descolam e aterrizam no centro de distribuição e realizam a entrega descendo até próximo do solo, onde deixam a encomenda em um local chamado mailbox, que se encontra próximo dos centros de saúde. A expectativa é expandir a rede de drones da Zipline para a parte oriental do país já no início de 2017.

A expertise em logística e os recursos da UPS vêm desempenhando um papel fundamental na ampliação do alcance deste importante trabalho. A empresa foi responsável pelo transporte de todo o sistema da Zipline, da Califórnia para Ruanda, em tempo recorde, utilizando um avião de carga Browntail e ajudando a garantir a construção do seu centro de distribuição em apenas quatro semanas.

Ao longo do próximo ano e com o apoio da parceria com a UPS e a Gavi, a Zipline tem planos para expandir os serviços de entrega com drones para países em todo o continente africano e americano. Além disso, a Zipline anunciou recentemente, na Casa Branca, sede do governo norte-americano, o objetivo de expansão do seu serviço nos EUA, onde vai servir reservas indígenas em Maryland, Nevada e Washington.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar