Ibovespa
127.625,84 pts
(-0,03%)
Dólar comercial
R$ 5,60
(0,30%)
Dólar turismo
R$ 5,81
(0,28%)
Euro
R$ 6,10
(0,13%)

Agnus assume gestão de ativos da HB-SMR

Provedor logístico será responsável por receber, separar, higienizar e expedir caixas desmontáveis empregadas em duas redes varejistas
Por Redação em 9 de agosto de 2018 às 12h59 (atualizado às 12h59)

A Agnus Sistemas Logísticos iniciou, no último mês de julho, uma operação junto à HB-SMR, companhia de origem holandesa que atende redes varejistas com caixas desmontáveis especiais utilizadas pelos supermercadistas na padronização de suas operações junto aos fornecedores. O trabalho, que utilizará 350 m² do centro de distribuição do operador instalado em Londrina (PR), que possui uma área total de 22 mil m², consiste em receber, separar, higienizar e expedir as caixas.

Para atender às demandas e especificações operacionais da HB-SMR, a Agnus criou uma área isolada e exclusiva. O diretor Comercial da companhia, Marcio Morete, explica que a estratégia foi adotada uma vez que, além de o atendimento aos produtores ser realizado de forma segregada, há a necessidade de as caixas passarem por um sistema de higienização. “Nossa previsão é movimentar 180 mil caixas por mês”, calcula.  Elas são distribuídas para cerca de 30 produtores, localizados nas regiões metropolitanas de Londrina e Maringá (PR), que abastecem as lojas das redes de supermercados Super Muffato e Cidade Canção instaladas nas duas cidades.

Morete afirma que se trata de um serviço diferenciado. “Aplicamos um software exclusivo para a operação, as caixas higienizadas necessitam permanecer separadas e o atendimento aos produtores é realizado com pessoalidade e em tempo satisfatório”, garante. Segundo dados do executivo, no provedor logístico anterior, os produtores levavam entre 2 e 3 horas para coletar as caixas no  armazém. Agora, no CD da Agnus, esse tempo fica entre 15 e 30 minutos.

Para obter esse resultado e personalizar as operações da HB-SMR, padrão empregado em todos os contratos firmados pela Agnus, o diretor Comercial revela que algumas adequações foram realizadas. “Criamos rampas de carga e descarga, projetadas unicamente para essa operação, pois as caixas são coletadas pelos mais diversos tipos de veículo, uma vez que se trata de produtores rurais”, conta.

Agnus assume gestão de ativos da HB-SMR

Além disso, continua, houve a personalização da jornada de atendimento. “Tivemos que adaptar um misto de equipe fixa e variável para atender os picos semanais e os horários que os produtores necessitam, já que é preciso conciliar as coletas na zona rural com as entregas nas redes varejistas”, explica. As adequações refletem nos números operacionais. De acordo com Morete, a acuracidade do inventário é de 100%. “Todas as ocorrências de divergência foram absolutamente sanadas.”

O sucesso da operação junto à HB-SMR estimula planos de expansão. A ideia, adianta o executivo, é crescer no atendimento de mais operações pequenas e médias. “Esse é um gargalo regional, pois as empresas de armazéns gerais são, via de regra, especializadas em commodities”, diz. Ainda de acordo com Morete, o objetivo é criar uma identidade para cada contrato, a fim de que o cliente sinta que tem suas próprias características presentes no CD da Agnus.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar