Ibovespa
127.652,06 pts
(-1,39%)
Dólar comercial
R$ 5,59
(1,89%)
Dólar turismo
R$ 5,79
(1,73%)
Euro
R$ 6,09
(1,54%)

Confira quais são os melhores operadores logísticos de 2003

Por Redação em 11 de dezembro de 2003 às 17h58 (atualizado em 04/05/2011 às 15h18)

Pela segunda vez consecutiva a TNT Logistics foi eleita como o melhor operador logístico de 2003. Do total de votos obtidos pela empresa, 60% foram de profissionais que não utilizam os seus serviços, porém reconhecem sua excelência como melhor prestador de serviços logísticos do País, pelo segundo ano consecutivo

Outras dez empresas do segmento como DHL-Danzas, Excel, Mclane, ALL-Delara, CVRD, Júlio simões, Expresso Mercúrio, Cotia Penske, Katoen Natie e Cesa Logística também foram homenageadas.

"Queremos incentivar as empresas e acompanhar a evolução do setor", explica Mário Laffitte, gerente de marketing da Volvo. Somente os mais de 100 operadores logísticos que colaboraram com pesquisa feita pela revista em conjunto com o Coppead faturaram R$ 6 bilhões em 2002, R$ 1,8 bilhão a mais que a receita de R$ 4,2 bilhões registrada no exercício anterior.

"A previsão para este ano é chegar próximo de R$ 7,5 bilhões", afirma o professor Paulo Fernando Fleury, diretor do Centro de Estudos em Logística. "Como a logística é um fenômeno relativamente novo, as taxas de crescimento ainda são grandes", declara o diretor.

Atualmente, os setores que mais contratam operadores logísticos são o automotivo e de autopeças, de química e petroquímica, o de eletroeletrônicos e o de alimentos. "Os setores automotivo e de eletroeletrônicos estão procurando uma logística mais sofisticada, acompanhando a tendência de operar sem estoques", explica Fleury. O de alimentos está consumindo mais serviços nesta área justamente por sua natureza complexa: as vendas estão diretamente ligadas ao número de pontos-de-venda.

Embora a logística tenha chegado ao Brasil no início dos anos 90, mais de 10 anos depois de já estar consolidada na Europa, o segmento vem ganhando importância crescente no País. Segundo o Coppead, 41% das 500 maiores empresas brasileiras já possuem diretores de logística, e 42% têm um gerente de logística hierarquicamente logo abaixo do cargo de direção.

"Estes números mostram a relevância que as empresas estão dando ao segmento", observa o diretor. "Há 12 anos não havia gerentes de logísticas nas empresas", completa. Naquela época, a logística era uma área ainda fragmentada dentro das organizações, espalhada por diferentes setores.

Especialização - Preocupadas em se manter concentradas no seu negócio e voltar seus esforços para a redução de custos, as empresas estão cada vez mais dirigindo este tipo de trabalho para especialistas. O operador logístico é uma empresa especializada em serviços de armazenagem, movimentação, distribuição, gerenciamento de estoque e transportes.

Os operadores cuidam de todo o processo logístico, desde a saída do produto da fábrica, passando pelo seu gerenciamento, até a distribuição na ponta do consumo. Existem casos em que operadores chegam até mesmo a emitir a nota fiscal do produto e a representar a empresa ou o dono da mercadoria junto ao cliente final.

A intensificação do emprego da logística tem aumentado as exigências sobre a operação de transporte. Os transportadores estão agregando novos serviços e aumentando a produtividade com o uso pleno do caminhão. No Brasil, onde mais de 60% das cargas são transportadas por via rodoviária, em uma frota de 1,8 milhão de caminhões, soluções nesta área são fundamentais.

Coppead: (21) 2598-9898
Volvo: 0800 411 050

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar