Ibovespa
122.650,92 pts
(1,08%)
Dólar comercial
R$ 5,39
(-0,92%)
Dólar turismo
R$ 5,60
(-1,09%)
Euro
R$ 5,79
(-0,51%)

Porto Ponta do Félix inicia operação bulk de pellets de madeira

Expectativa é que até o final do ano passem pelo terminal 120 mil toneladas da carga
Por Redação em 28 de abril de 2022 às 10h23
Porto Ponta do Félix inicia operação bulk de pellets de madeira

O Porto Ponta do Félix, em Antonina (PR), foi o escolhido para realizar uma operação de exportação de pellets de madeira a granel. Ao todo, 120 mil toneladas devem passar pelo local, totalizando nove navios até o fim do ano. A carga, que até então era exportada por contêineres, está sendo embarcada pelo método bulk, com custos operacionais menores.

 O produto é fabricado no estado de Santa Catarina e será desembarcado na Itália com destino à Dinamarca, onde será utilizado como insumo em sistemas de calefação. A primeira exportação foi de 15 mil t, realizada em dezembro de 2021.  

“A operação de pellets de madeira faz parte da mudança de vocação pela qual o Porto Ponta do Félix está passando nos últimos anos. A ampliação do portfólio nos permitiu operar malte, pellets de cana e madeira, big bags de alimentos e outros produtos à granel”, explica o presidente do Porto Ponta do Félix, Gilberto Birkhan.

Segundo o executivo, uma das principais vantagens de exportar ou importar por Antonina é a possibilidade de customização das operações. No caso dos pellets, o porto se adapta a necessidade da movimentação, atendendo ao fluxo e logística de maneira personalizada. A carga a granel é armazenada em recinto alfandegado, sendo enviada para um único porto na Europa – determinado pelo cliente – e que vai distribuir a carga ao restante do continente utilizando barcaças.

 “Justamente por entender que customização é fundamental para atender ao mercado, o Ponta do Félix oferece essa facilidade e agilidade operacional. Também estamos expandindo nossa estrutura, construindo silos para cereais e um novo armazém para fertilizantes. Os investimentos, como no caso dos fertilizantes, permitem que os produtos que chegam ao porto sejam entregues com qualidade aos produtores rurais, garantindo maior integridade das cargas”, destaca o diretor-presidente do FTS Group e acionista do porto, Valdecio Bombonatto.

Vale lembrar que uma expansão em infraestrutura está prevista e ampliará a atual capacidade estática de 270 mil t para 430 mil t, até início de 2023.  

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar