Ibovespa
119.293,04 pts
(-0,25%)
Dólar comercial
R$ 5,42
(0,78%)
Dólar turismo
R$ 5,63
(0,83%)
Euro
R$ 5,82
(1,04%)

Porto de Antuérpia-Bruges inicia operação compartilhada

Estrutura chega com a meta de se tornar um ponto mundial que concilia economia, pessoas e clima
Por Redação em 29 de abril de 2022 às 13h45 (atualizado às 20h01)
Porto de Antuérpia-Bruges inicia operação compartilhada

Os portos de Antuérpia e Zeebrugge anunciam que passam a operar sob um único nome, Porto de Antuérpia-Bruges. Durante a assembleia geral extraordinária, realizada no último dia 22, os dois portos assinaram o acordo de acionistas do porto unificado. Com isso, informa, o Porto de Antuérpia-Bruges firma o compromisso de tornar-se um porto mundial que concilia economia, pessoas e clima. Vale ressaltar que o processo de unificação teve início em fevereiro de 2021.

O porto unificado conta com 74 mil empregos diretos e 90 mil indiretos e com um valor agregado de quase 21 bilhões de euros ou 4,5% do PIB da Bélgica. A estrutura será empregada na exportação europeu e também na operação de contêineres, transbordo de veículos e cluster químico integrado.

O Porto de Antuérpia-Bruges informa que tem a ambição de se tornar o primeiro porto mundial a reconciliar a economia, as pessoas e o clima. A fusão dos dois portos pretende reforçar ainda a posição na  cadeia logística internacional, perseguir a liderança na transição energética e digital e, ao mesmo tempo, criar valor agregado sustentável para a sociedade em geral.  

No atual contexto geopolítico e macroeconómico, a unificação é uma oportunidade, ressalta o porto, para dar mais visibilidade a nível mundial aos portos de Antuérpia e Zeebrugge, e por extensão à região de Flandres. O Porto de Antuérpia-Bruges irá focar nos pontos fortes de ambos os locais portuários e centra a sua estratégia nos contêineres, na carga geral fracionada, no tráfego roll-on/roll-off e nos produtos químicos.  

O porto unificado torna-se, garante, o maior porto de exportação europeu, com 147 milhões de toneladas por ano e o maior porto de contêineres da Europa em tonelagem – com 159 milhões de t/ano.

Paralelamente à implementação do projeto Capacidade Extra de contêineres de Antuérpia (ECA- extra container capacity Antwerp), o Porto de Antuérpia-Bruges trabalha num Plano de Containers 22-30 para resguardar a sua posição competitiva. O Porto de Antuérpia-Bruges também anuncia que continua a investir em infraestruturas estratégicas, como Terminal Europa em Antuérpia, a nova Eclusa e a Zona Logística  Marítima em Zeebrugge.

Os porta são integrados. Isso porque Antuérpia é competitivo  no tráfego e armazenamento de carga geral fracionada e produtos químicos, enquanto Zeebrugge é um porto importante para o tráfego roll-on/roll-off, manuseamento de contêineres e transbordo de gás  natural liquefeito.

Ações

O Porto de Antuérpia-Bruges quer também afirmar a sua posição como centro de energia verde e ajudar a moldar a transição energética para um futuro sustentável. O porto unificado vai continuar e expandir o seu projeto de captura, armazenamento e reutilização de CO2. Por meio de Antuérpia@C, as primeiras 2,5 milhões de t de CO2 serão capturadas da indústria portuária até 2025. Este CO2 será armazenado e eventualmente reutilizado como matéria-prima para várias destinações.

Além disso, a combinação da posição de Antuérpia como o segundo aglomerado químico mundial e a localização da costa de Zeebrugge proporciona uma oportunidade para implementar economia do hidrogénio.  

Até 2028, o Porto de Antuérpia-Bruges pretende receber as primeiras moléculas verdes de hidrogénio na sua plataforma. A estrutura trabalha ainda na expansão da capacidade do terminal para transportadores de hidrogénio existentes e novos. Um gasoduto de hidrogénio entre os dois portos e para o interior da Europa deverá assegurar que toda a zona portuária e, por extensão, todo o país e uma grande parte da Europa, possa fazer uso deste transportador de energia renovável.  

O Porto de Antuérpia-Bruges oferece também, salienta, vantagens em termos de inovação e digitalização para tornar a cadeia logística mais eficiente, confiável e segura.  

A vereadora do porto da cidade de Antuérpia e presidente do conselho de administração do Porto de Antuérpia-Bruges, Annick de Ridder, diz que p porto unificado não é apenas o motor econômico da Flandres. “Juntos, os portos formam também o maior porto de exportação e de contêineres em tonelagem, o maior porto de transbordo de veículos da Europa e o mais importante centro químico da Europa. Ao mesmo tempo, o Porto de Antuérpia-Bruges tem grandes ambições de se tornar a porta da energia para a Europa como porto verde. Em suma, estamos hoje a escrever aqui a história económica flamenga.”

Já o presidente da Câmara da Cidade de Bruges e Vice-Presidente do Porto de Antuérpia- Bruges, Dirk de Fauw, diz estar convencido de que esta operação de fusão conduzirá a um crescimento sustentável da atividade econômica e do emprego em ambos os locais e reforçará a reputação internacional da Flandres no mundo.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar