Ibovespa
119.293,04 pts
(-0,25%)
Dólar comercial
R$ 5,42
(0,78%)
Dólar turismo
R$ 5,63
(0,83%)
Euro
R$ 5,82
(1,04%)

Porto de Suape receberá instalação de um Terminal de Regaseificação de Gás Natural Liquefeito

Empreendimento, mais conhecido como Regás, demandará investimentos de R$ 2 bilhões
Por Redação em 21 de dezembro de 2022 às 9h03
Porto de Suape receberá instalação de um Terminal de Regaseificação de Gás Natural Liquefeito

O governo do estado de Pernambuco anunciou a instalação de um Terminal de Regaseificação de Gás Natural Liquefeito (GNL), no Porto de Suape. Ao todo, o empreendimento,  mais conhecido como Regás, demandará investimentos de R$ 2 bilhões

A holding brasileira OnCorp, presente nos mercados do Brasil e da Argentina, cuja atuação está voltada para o setor de produção e serviços de geração de energia, foi a vencedora do processo de seleção e arrendou o Cais de Múltiplos Usos (CMU), que passará a funcionar, exclusivamente, para esse tipo de operação.

Leia mais: Terminal de Uso Privado da APM Terminals será instalado em Suape

A operação do terminal contará com a participação ainda da Shell, multinacional do setor de óleo e gás. Uma das primeiras companhias a receber o gás da Shell, via Terminal de Regás, será a Termopernambuco, termoelétrica de 498 MW, vencedora de Leilão de Reserva de Capacidade de 2021.O CMU está localizado na área do porto organizado. Ao longo das obras de instalação, serão criados centenas de empregos temporários.

Para o diretor-presidente de Suape, Francisco Martins, o Regás dará mais competitividade comercial a Pernambuco, garantindo mais opções às indústrias e outros setores da cadeia produtiva. “Com o novo empreendimento, teremos um player privado fazendo a regaseificação em Suape e oferecendo o produto para o mercado, trazendo economia nos custos de produção e, consequentemente, redução de preços para os consumidores.”

Já o diretor-executivo da OnCorp, João Mattos, a posição geográfica do porto foi um grande definidor para a instalação do Terminal em Pernambuco. “Para você conseguir, a partir de Pernambuco, fornecer para outros estados do Nordeste se torna um atrativo muito interessante. Outro fator importante é a vocação do Porto de Suape, que tem um grande polo industrial dentro da própria planta, onde você não encontra isso com facilidade em outros portos brasileiros.”

Infraestrutura

Com o Regás, o Complexo Industrial do Porto de Suape encerra 2022 com o anúncio de uma série de empreendimentos confirmados para Pernambuco, prevendo um total de R$ 44,1 bilhões de investimentos até 2027.

A operação funcionará por meio de um navio indústria conhecido como Floating Ship Regaseification Unit (FSRU), que ficará ancorado no Cais de Múltiplos Usos. A transformação do gás natural liquefeito (GNL) na forma gasosa será realizada pelo navio estacionário, conectado por gasodutos à Estação de Transferência de Custódia (ETC), para posterior distribuição pela rede que liga o porto às cidades do Grande Recife, interior do Estado e demais Estados.

Leia mais: APM Terminals vence leilão para aquisição de área no Porto de Suape

A área arrendada para uso do terminal é de 33.375 m² e o Porto de Suape será remunerada pela cessão da área do CMU no valor global de R$ 6,2 milhões para um período de 48 meses de contrato. Além do valor do arrendamento, o investimento engloba os custos com o sistema de recepção aquaviária, infraestrutura de cais e amarração, gasoduto e a estação de transferência de custódia. As operações sem o FSRU começam na próxima semana e com o FSRU, nos próximos 12 meses.

Operação

A OnCorp, responsável pela operação, é uma holding brasileira atuante nos mercados do Brasil e da Argentina, principalmente no setor de produção e serviços de geração de energia termoelétrica independente, com atuação nos sistemas interligado e isolado do país, com sua própria linha de grupos geradores, desenvolvidos por sua subsidiária, a OnPower.

Desde 2002, as empresas voltadas ao setor energético que compõem a OnCorp contribuem em cinco projetos do Sistema Interligado de Energia Nacional, por meio da geração de mais de 455.040 MW/mês, distribuídos pelo território brasileiro pela ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico).

A OnCorp ressalta que está desenvolvendo projetos voltados a leilões nacionais de energia, baseados em grupo geradores movidos a gás natural. Recentemente, começou a implantar os primeiros projetos híbridos do Brasil, no sistema isolado, com térmicas que utilizam baterias e energia fotovoltaica, tendo obtido a primeira certificação de selo verde na Nint (empresa de consultoria e avaliação ESG), para um projeto de geração de energia no país. Em Pernambuco, a holding já conta com uma planta fotovoltaica de 2.5MWp de potência, no âmbito da geração distribuída, no munícipio de Ribeirão, na Zona da Mata Sul do Estado.

Projeções

Além do Regás, Suape finalizará este ano encerra 2022 com outras estruturas anunciadas. Entre elas estão a Planta de Produção de Hidrogênio Verde da Qair Brasil (R$ 22,5 bilhões), o novo Terminal de Contêineres da APM Terminals-Moller-Maersk (R$ 2,5 bilhões), a nova fábrica da Blau Farmacêutica (R$ 1,5 bilhão) e o Terminal de Granéis Sólidos Minerais de Suape da Bemisa (R$ 1,5 bilhão).

Leia mais: Volkswagen do Brasil desembarca veículos no Porto de Suape

A ampliação da Refinaria Abreu e Lima (R$ 5 bilhões), a construção da Ferrovia do Sertão, que ligará Suape às jazidas de ferro de Curral Novo, no Piauí, numa extensão de 717 quilômetros (R$ 6 bilhões) são outros empreendimentos. Atualmente, 229 empresas estão instaladas no Complexo de Suape e adjacências.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar