Ibovespa
120.340,30 pts
(0,59%)
Dólar comercial
R$ 5,44
(0,15%)
Dólar turismo
R$ 5,66
(0,59%)
Euro
R$ 5,85
(0,22%)

Suape e Cesar desenvolvem sistema operacional

MVP permitirá ao atracadouro pernambucano integração e mais agilidade nas operações de cargas
Por Redação em 30 de janeiro de 2023 às 12h29
Suape e Cesar desenvolvem sistema operacional

O Complexo Industrial Portuário de Suape e o Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (Cesar) anunciam a entrega da primeira solução – um MVP, Produto Mínimo Viável – desenvolvida pela entidade que permitirá ao atracadouro pernambucano integração e mais agilidade nas operações de cargas.

O Terminal Operating System (TOS) coloca o porto como pioneiro em um cenário digital no setor e traz maior conexão com a comunidade portuária. O Cesar é uma instituição que forma profissionais e impulsiona organizações, potencializando suas estratégias digitais.

O acordo tem por finalidade promover a digitalização dos processos do porto, sendo fundamental para a operação se tornar mais ágil e eficiente e se conectar em tempo real aos agentes portuários envolvidos nas movimentações de Suape.

Dessa forma, o centro de estudos buscou criar um sistema que unificasse toda a comunicação, para que essa deixasse de ser analógica e pulverizada, em um sistema semelhante ao que portos da Europa utilizam para agilizar as atividades dos navios, de operadores e demais agentes, além da tomada de decisão no terminal de contêineres e de órgãos regulatórios, a exemplo da Receita Federal.

Leia mais: Suape recebe a maior importação privada de GLP já realizada no Brasil

O TOS chega para ajudar Suape a agilizar as operações e reduzir eventuais trabalhos manuais. A versão do sistema já vem integrada  ao Porto Sem Papel (PSP), criado pelo governo Federal para tornar a gestão do setor mais ágil na entrada e saída dos navios.

Segundo a empresas, é a primeira vez que um sistema se integra a essa plataforma da União. Esse pioneirismo motivou a Secretaria Nacional dos Portos a convidar Suape para retratar essa experiência em uma das sessões do  Seminário do PSP, realizado em Brasília. O objetivo do encontro foi inspirar e apresentar aos participantes como se deu os primeiros passos para a implantação do PSP, a fim de incentivar os demais portos rumo à transformação digital.

Tecnologia

A Cesar informa que informações antes concentradas em e-mails, mensagens de whatsApp ou planilhas, por exemplo, estarão todas unificadas no sistema, que terá cinco módulos operacionais, contendo todo o quadro de manobras do porto e a programação de atracação e desatracação dos navios, auxiliando nas decisões de todos envolvidos nas operações. O centro de estudos informa que pretende seguir provendo soluções para o setor portuário, focadas tanto no TOS como no chamado Port Comunity System (PCS).

“Nosso objetivo é otimizar toda a complexidade que envolve a operação de Suape. Desde informações sobre quando e quantos navios de carga estão chegando, passando por entender os tipos de carga que transportam – líquida, sólida, contêiner ou outras – e que necessidades exigirão: alinhamento de atracação, programação de carga/descarga , bem como o próprio controle e monitoramento da operação e armazenamento”, explica o gestor de Projetos do Cesar, Adriano Gomes.

Ainda segundo o executivo, será possível estar mais preparado para acelerar as operações e transações portuárias, o que se refletirá em mais agilidade. “Ganha o porto em eficiência, com mais janelas para o uso do espaço, e os próprios operadores, pois atuarão com mais rapidez e eficiência.”

Leia mais: Suape assina termo de cooperação com a Autoridade Marítima do Panamá

Para o diretor-presidente de Suape, Francisco Martins, o TOS vai gerar nova dinâmica na movimentação portuária, pois trata-se de uma ferramenta que agilizará os processos de atracação e desatracação no porto, otimizando a entrada e saída de navios. “Além de melhorar e facilitar o trabalho e gerar benefícios para os atores envolvidos, a plataforma aumentará o faturamento com o maior volume de navios em operação. Os produtos gerados com o CESAR serão patenteados e a estatal será, além de referência em porto e complexo industrial, exemplo nacional em termos de inovação nesse modal marítimo de cargas.”

O TOS traz cinco módulos de operação. O primeiro, módulo Marítimo e de Operações, proporciona atualização em tempo real, informando quantos navios estão chegando e em qual horário. Isso impacta na operação, que estará preparada para gerir o carregamento ou descarregamento da carga, além de dar o panorama completo sobre o tipo de mercadoria com a qual Suape está lidando e que órgãos responsáveis precisarão fazer a notificação.

Já o módulo de Faturamento reflete as transações, focando nos serviços que precisam ser faturados. O Estatístico trata da análise de dados, permitindo a consolidação da operação, desde a parte marítima (chegada e/ou saída de navios) até o reporte para órgãos responsáveis. O módulo de Armazenagem é o apoio em relação à capacidade de receber determinada carga, o entendimento se ela será estocada de imediato ou se precisará aguardar a liberação de espaço para atracar.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar