Ibovespa
130.031,58 pts
(0,09%)
Dólar comercial
R$ 4,94
(0,13%)
Dólar turismo
R$ 5,14
(0,12%)
Euro
R$ 5,34
(0,22%)

APS e Marimex fecham acordo que permitirá pera ferroviária no Porto de Santos

Disputa de mais de dez anos foi encerrada nesta quinta-feira (10)
Por Redação em 11 de agosto de 2023 às 15h28
APS e Marimex fecham acordo que permitirá pera ferroviária no Porto de Santos
Foto: Divulgação/APS
Foto: Divulgação/APS

A Autoridade Portuária de Santos (APS) e a Marimex encerraram uma disputa de mais de dez anos foi encerrada nesta quinta-feira (10). O acordo prevê a transferência da empresa para área de 102 mil m², do antigo Teval, e o espaço de igual tamanho a ser desocupado pela Marimex permitirá a implantação da pera ferroviária que aumentará em 20 milhões de toneladas/ano o escoamento de granéis vegetais, atendendo 13 terminais da margem direita do Porto de Santos.

Assinaram o Termo de Liberação de área o sócio da Marimex, Antônio Carlos Fonseca Cristiano, o Caio; o presidente da Autoridade Portuária, Anderson Pomini; o presidente da Ferrovia Interna do Porto de Santos (Fips), João Almeida; e o prefeito de Santos, Rogério Santos. Este entendimento promovido pela diretoria da APS põe fim a uma polêmica e tornará o Porto de Santos mais competitivo e eficiente.

Em comunicado, a APS informou que a pera ferroviária será construída pela FIPS, uma sociedade de propósito específico que reúne a Rumo, a MRS Logística e a VLI. O prazo para a conclusão de toda a operação – mudança da Marimex e conclusão da pera, é de 36 meses.

Entenda o caso
A disputa judicial envolvendo a companhia Marimex e o Governo Federal vinha impedindo a construção de uma pera ferroviária no Porto de Santos, estrutura considerada necessária para ampliar a capacidade logística do maior porto do hemisfério sul, também o mais importante para o escoamento de commodities agrícolas do Brasil.

A pera ferroviária é um pátio em formato circular que possibilita o transbordo da carga sem a necessidade de desmembramento do trem. A falta de entendimento vinha prejudicando a solução que evitaria um gargalo no setor portuário, principalmente porque a capacidade de transporte ferroviário de cargas "serra acima" ultrapassará, a médio prazo, as 90 milhões de toneladas. Atualmente, a movimentação de grãos do agronegócio brasileiro está próximo de 85 milhões de toneladas/ano. 

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar