Ibovespa
122.650,92 pts
(1,08%)
Dólar comercial
R$ 5,39
(-0,92%)
Dólar turismo
R$ 5,60
(-1,09%)
Euro
R$ 5,79
(-0,51%)

DP World Santos passa a reaproveitar 100% dos resíduos gerados

Destinação rumo ao reaproveitamento energético é parte de projeto que irá zerar os descartes em lixões
Por Redação em 19 de abril de 2022 às 13h00

A DP World Santos tornou-se o primeiro terminal portuário do Brasil a não destinar resíduos para aterros sanitários. Chamado de Aterro Zero, o projeto tem como objetivo transformar todos os resíduos não-recicláveis gerados no local em energia sustentável para atividades já existentes da indústria. 

Com a implementação do projeto, resíduos como varrição de celulose e pátio, papeis de banheiros, materiais orgânicos, entre outros, serão transformados em combustível para fornos de cimento a partir de uma tecnologia de reaproveitamento energético batizada de Combustível Derivado de Resíduos Sólidos Urbanos (CDRU). 

A ação, devidamente licenciada pelos órgãos ambientais pertinentes, impacta positivamente na conservação e na racionalização de recursos minerais e energéticos e não gera novos passivos ambientais. 

Em fevereiro de 2022, todos os resíduos gerados pelo terminal foram reaproveitados. 38,5% foram destinados pela DP World Santos para reciclagem, outros 20% transformaram-se em combustível por meio da tecnologia de reaproveitamento energético CDRU e 23,8% foram encaminhados para o tratamento de efluentes. O restante foi enviado para coprocessamento, compostagem, rerrefino de óleo e logística reversa, entre outros destinos. No futuro, será instalado ainda um biodigestor para os resíduos orgânicos alimentares do refeitório operacional. 

“O gerenciamento de resíduos na DP World Santos já era realizado de forma a minimizar a quantidade de orgânicos que têm como destino aterros sanitários. Com a implementação do Aterro Zero, estamos intensificando a preservação de recursos naturais e matérias-primas, assim como a redução de gases de efeito estufa, além de gerar empregos e contribuir para a saúde pública”, explica Audrey Cortez, supervisora de Meio Ambiente da DP World Santos.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar