Ibovespa
128.542,34 pts
(-0,88%)
Dólar comercial
R$ 5,54
(1,11%)
Dólar turismo
R$ 5,75
(1,03%)
Euro
R$ 6,05
(0,88%)

Still cria rede 5G própria na Alemanha

Transmissão de dados mais segura, rápida e eficiente auxiliará no desenvolvimento de novas soluções de intralogística
Por Redação em 18 de março de 2022 às 13h30 (atualizado em 26/05/2022 às 15h17)

Com o objetivo de participar de projetos de pesquisa, desenvolver produtos inovadores e implementar uma fábrica mais inteligente, a Still criou sua própria rede 5G na sede da companhia, localizada na cidade de Hamburgo, na Alemanha. 

De acordo com a própria Still, a evolução dos veículos autônomos de transporte em linhas de produção e armazéns está diretamente ligada a redes móveis poderosas para movimentar grandes quantidades de dados com segurança, rapidez e eficiência. Por esse motivo a empresa decidiu instalar sua própria rede. 

“A rede 5G, com a qual voltamos a reforçar a nossa capacidade de inovação, uma vez que o 5G ainda não está amplamente difundido na indústria, irá, por um lado, nos ajudar a levar os processos logísticos de execução autônoma a um novo patamar para os nossos clientes. Para chegar nesse resultado, temos participado há vários anos de vários projetos de pesquisas internacionais que exploram a ideia da indústria 4.0”, explica Ansgar Bergmann, especialista em dados e redes da Still. “Por outro lado, otimizaremos nossa produção com tecnologia de transmissão de dados super rápida. No futuro, robôs de produção e pessoas poderão trabalhar juntos sem problemas no sentido de fábrica inteligente graças à comunicação sem fio rápida”. 

Novas visões, especialmente baseadas em machine learning, para as quais este impulso de transferência de dados é direcionado, em breve serão implementadas pela Still. Para isso, a empresa envolvida em vários projetos de pesquisa internacionais, com o objetivo de aproveitar melhor os dados que os veículos autônomos coletam por meio de seus sensores e câmeras durante seus trajetos pelo armazém, por exemplo. 

“Esses processos geram enormes quantidades de dados que devem ser transmitidos em altíssima velocidade. Sem nossa nova rede de dados 5G, algumas abordagens não seriam possíveis. As tecnologias anteriores costumam ser bastante suscetíveis a interferências, o que dificulta nosso trabalho”, analisa Bergmann.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar