Ibovespa
130.031,58 pts
(0,09%)
Dólar comercial
R$ 4,94
(0,13%)
Dólar turismo
R$ 5,14
(0,12%)
Euro
R$ 5,34
(0,22%)

Tecnologia pode reduzir custos do frete marítimo em até 20%

Levantamento da MTM Logix propõe que otimização diminui o consumo de combustível e contribui com a descarbonização do setor
Por Redação em 4 de agosto de 2023 às 6h24
Tecnologia pode reduzir custos do frete marítimo em até 20%
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Com o avanço tecnológico e a digitalização de diversos processos, o tempo de entrega de mercadorias, custos de fretes marítimos e até mesmo a emissão de gases de efeito estufa podem ser reduzidos em até 20%. Segundo um levantamento feito pela empresa de logística MTM Logix, esse resultado é possível de ser obtido por meio de algoritmos avançados que otimizam rotas com base no tráfego, clima, entre outras variáveis. Além disso, o rastreamento em tempo real e a análise preditiva podem evitar atrasos e garantir um gerenciamento de estoque eficiente.

"Hoje em dia, as principais tecnologias disruptivas em frete e logística incluem inteligência artificial (IA), internet das coisas (IoT), blockchain, veículos autônomos, drones e automação robótica de processos (RPA). O uso dessas ferramentas pode economizar tempo e custos significativos. Por exemplo, a otimização de rotas pode reduzir os custos de combustível em até 20%, enquanto o RPA pode reduzir os custos operacionais ao automatizar tarefas repetitivas. A análise preditiva, por sua vez, pode reduzir os custos de estoque em até 30%", afirma Mario Veraldo, CEO da MTM Logix.

Ao criar visibilidade aprimorada no comércio global e reduzir a proporção de estoque para vendas, a tecnologia também pode contribuir significativamente para reduzir as emissões de gases e otimizar a utilização de recursos. Ferramentas avançadas de previsão podem minimizar o excesso de estoque, diminuindo os custos de energia de armazenamento e o desperdício de produtos não utilizados. Além disso, a implementação da tecnologia de otimização de rotas orientada por IA pode reduzir o consumo de combustível em até 20%, impulsionando uma queda nas emissões de gases de efeito estufa.

"Como resultado, a tecnologia contribui para cadeias de suprimentos mais eficientes e promove práticas sustentáveis" diz Veraldo. Para a empresa, no entanto, o ponto principal não é a tecnologia em si, mas sim como ela está sendo colocada em prática, e se está sendo bem integrada ao longo de toda a cadeia de suprimentos. 

Quando as empresas se modernizam, por exemplo, mas os sistemas portuários não as acompanham no mesmo passo, ineficiências e gargalos são gerados no mercado. Para evitar perdas ao longo da cadeia, uma solução são as plataformas digitais de torre de controle da cadeia de suprimentos, que preenchem lacunas ao integrar e simplificar a troca de informações entre diferentes sistemas.

LEIA TAMBÉM: 

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar