Ibovespa
124.813,23 pts
(-0,42%)
Dólar comercial
R$ 5,27
(1,54%)
Dólar turismo
R$ 5,49
(1,72%)
Euro
R$ 5,59
(1,50%)

Demanda global por dados de veículos conectados impulsiona a Geotab a 4 milhões de assinaturas

Em 2022, a empresa tinha alcançado 3 milhões de assinantes
Por Redação em 29 de novembro de 2023 às 11h25 (atualizado às 11h30)
Demanda global por dados de veículos conectados impulsiona a Geotab a 4 milhões de assinaturas
Foto: Divulgação/Geotab
Foto: Divulgação/Geotab

A Geotab celebra a conquista de 4 milhões de assinaturas em todo o mundo. Esse marco representa a crescente demanda por inteligência de dados para facilitar decisões avançadas que impulsionam a transformação contínua do setor de transporte. As ideias baseadas em dados da Geotab têm abrangido desde pequenas empresas até grandes corporações listadas na Fortune 500, além de governos de diversos níveis, segundo a multinacional de tecnologia.

Com uma trajetória consolidada de 23 anos, a Geotab atingiu a marca de 3 milhões de assinaturas em 2022. Em pouco mais de um ano, a empresa adicionou 1 milhão de novos veículos à sua base, evidenciando a crescente demanda por inteligência na modernização e gestão de frotas. O ecossistema da Geotab, composto por mais de 700 parceiros, aliado à inovação contínua e à colaboração com clientes em áreas em ascensão, como o desenvolvimento de IA, tem gerado oportunidades contínuas de crescimento.

Neil Cawse, CEO da Geotab, destaca a evolução notável da empresa: "Há 23 anos, éramos uma empresa de duas pessoas operando no porão de minha casa. Agora, ao contemplar nossa jornada e o notável crescimento nos últimos 15 meses, fica evidente que o potencial que enxergamos nesta indústria há muitos anos foi comprovado."

Desde agosto do ano passado, quando a Geotab atingiu a marca de 3 milhões de assinaturas, os veículos conectados à sua plataforma percorreram mais de 89 bilhões de quilômetros, equivalente a aproximadamente 594 viagens ao redor do Sol. Esse volume de dados permite à Geotab oferecer insights cruciais aos clientes, identificando possíveis falhas em motores e antecipando a probabilidade de colisões.

"Acreditamos que não é possível gerenciar com eficácia aquilo que não é mensurado, e é por isso que dados e tecnologia tornaram-se tão cruciais para as organizações quanto os veículos que operam", completa Neil Cawse.


LEIA TAMBÉM:

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar