Ibovespa
124.305,57 pts
(-0,34%)
Dólar comercial
R$ 5,17
(0,27%)
Dólar turismo
R$ 5,37
(0,22%)
Euro
R$ 5,61
(0,64%)

CCR Aeroportos investe na ampliação da malha de voos cargueiros internacionais no Brasil

Empresa ainda anunciou a construção de novo terminal de cargas em Goiânia (GO)
Por Raphael Minho em 28 de fevereiro de 2023 às 16h00
CCR Aeroportos investe na ampliação da malha de voos cargueiros internacionais no Brasil

A CCR Aeroportos está investindo na ampliação da malha de voos cargueiros internacionais nos aeroportos internacionais que administra. A empresa está anunciando as novidades durante a Intermodal 2023, que começou nesta terça-feira (28).

Atualmente, a empresa administra 20 aeroportos no Brasil e na América Latina, entre eles, os terminais de Curitiba e Foz do Iguaçu, no Paraná; Navegantes e Joinville, em Santa Catarina; Goiânia, no estado de Goiás; São Luís, no Maranhão;  Teresina, no Piauí; e Petrolina em Pernambuco. Todos esses mencionados operam com carga aérea internacional.

De acordo com a empresa, cerca de 70% dos processos de liberação aduaneira de cargas aéreas que chegam do exterior, destinados aos estados do Paraná, Santa Catarina, Goiás e Maranhão, ocorrem em São Paulo, gerando um elevado tráfego rodoviário e tempo adicional para transportar essas mercadorias até o destino final.

Com isso, a CCR ampliou a sua malha cargueira internacional no Aeroporto Afonso Pena, em Curitiba (PR). No terminal, há seis frequências semanais de cargas importadas da Europa e Estados Unidos com aviões de grande porte, além de quatro frequências com origem em Miami (EUA).

"A gente está conversando com várias empresas aéreas europeias, sendo que a maioria já opera no Brasil em Guarulhos (SP) ou Viracopos (SP), e a ideia é que elas façam mais uma etapa em Curitiba (PR)", explica Maria Fan, gerente executiva comercial da CCR Aeroportos à Tecnologística.

Isso reduziria, segundo a CCR, cerca de um dia na distribuição das cargas até o Paraná, levando em consideração o tempo de transporte rodoviário e o processo burocrático de liberação do aeroporto. Entre as principais cargas importadas pelo estado estão peças  e maquinários automotivos, produtos farmacêuticos e agrícolas.

CCR Aeroportos investe na ampliação da malha de voos cargueiros internacionais no Brasil

À reportagem, Maria Fan antecipou que a empresa está preparando uma nova estratégia de operação para exportação de frutas a partir do terminal de Petrolina (PE) no retorno dessas aeronaves para o continente europeu.

"Na volta, a ideia é que elas façam um pouso em Petrolina (PE). Essa é uma rota que queremos fazer num curto prazo, porque esses aeroportos já estão preparadíssimos e não precisam de nenhuma obra", completa.

Com a nova rota, a expectativa é que as empresas possam reduzir aproximadamente 48 horas na logística de escoamento dessas cargas, que atualmente, deixam Petrolina (PE) em direção à São Paulo (SP) através do transporte rodoviário para realizar a exportação.

LEIA TAMBÉM: BH Airport anuncia dois novos modelos de negócio personalizados do Aeroporto Industrial

Construção de novo terminal de cargas em Goiânia (GO)
Maria Fan também revelou que a empresa investirá na construção de um novo terminal de cargas dedicado às importações de produtos farmacêuticos no Aeroporto Internacional de Goiânia. O projeto inclui o planejamento de voos cargueiros internacionais procedentes da Europa, Ásia e Estados Unidos, como mais uma importante iniciativa disruptiva da CCR Aeroportos, tendo em vista a atual logística rodoviária para translado dessas cargas de São Paulo até Goiás, e está previsto para entrar em operação em 2024.

"Goiânia tem um polo farmacêutico e químico muito importante e nós ainda não atendemos totalmente a demanda da região. E essas cargas chegam em São Paulo e transitam de caminhão até Anápolis (GO) com horas de viagem", finaliza.

Expectativas para 2023
No segmento de cargas, a CCR Aeroportos prevê um crescimento durante o ano. Embora a expectativa do governo federal seja de baixo crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2023, a empresa espera que haja uma retomada econômica de alguns segmentos como de semicondutores oriundos da China.

“O que aconteceu nos últimos dois anos é que houve uma escassez de avião cargueiro porque durante a pandemia foi necessário o uso desse transporte para o envio de insumos e vacinas, ficando muito concentrado na Ásia, ao mesmo tempo que eles tiveram um gargalo com contêineres marítimos que não conseguiram ser devolvido a tempo”, diz a Maria Fan que pontua que as empresas aéreas não estavam tendo tempo para olhar novas rotas.

CCR Aeroportos investe na ampliação da malha de voos cargueiros internacionais no Brasil

Além disso, no ano passado o setor ainda foi impactado pela guerra entre Rússia e Ucrânia, que forçou as empresas aéreas a mudarem as suas rotas por não poderem mais sobrevoar os países, seja por questões de embargos ou risco de segurança, aumentando o tempo de transporte.

“A expectativa das empresas aéreas é que no segundo semestre deste ano eles tenham muito mais condições de olhar outras portas, e é o que a gente já está vendo. A Ethiopian Airlines acabou de anunciar que vai trazer mais duas frequências de voos cargueiros da China para o Brasil, operando em Guarulhos (SP)”, afirma.

Em relação a carga nacional, a gerente executiva da CCR Aeroportos aponta o crescimento do e-commerce, que deve ser menor do que nos últimos anos, que foi impulsionado pela pandemia de Covid-19, mas que deve se estabelecer neste ano.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar