Ibovespa
120.445,91 pts
(0,15%)
Dólar comercial
R$ 5,46
(0,38%)
Dólar turismo
R$ 5,66
(0,02%)
Euro
R$ 5,85
(0,01%)

VLI protocola dois novos pedidos de autorização ferroviária

Trechos somam mais de 200 km e movimentarão investimentos estimados em cerca de RS 5 bilhões
Por Redação em 3 de outubro de 2022 às 13h20 (atualizado às 18h54)
VLI protocola dois novos pedidos de autorização ferroviária

A VLI protocolou dois novos pedidos de autorização ferroviária na Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).  Os trechos somam mais de 200 km e movimentarão investimentos estimados em cerca de R$ 5 bilhões para ligar as cidades de Correntina a Arrojolândia e Barreiras a Luís Eduardo Magalhães, todas no oeste da Bahia.

As autorizações se conectarão a grandes projetos públicos estruturantes em curso: os trechos I e II da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), possibilitando o escoamento da carga da região de forma eficiente e sustentável ao Porto de Ilhéus. As propostas agora seguem trâmites internos na ANTT e no Ministério da Infraestrutura para posterior assinatura de contrato de adesão. Após essa etapa, a companhia passará à realização de estudos técnicos de engenharia, socioambiental e análises de viabilidade, para, com os resultados, seguir com a execução dos projetos. 

“Os novos projetos que protocolamos reforçam a presença da VLI na Bahia, onde já operamos por meio da FCA. Com as possibilidades trazidas pelo novo marco legal das ferrovias, além de garantir a continuidade dos serviços já prestados pela FCA durante seu contrato atual de concessão, comprovamos nosso propósito de contribuir com o desenvolvimento do futuro da logística baiana e de todo o Brasil”, afirma o presidente da VLI, Ernesto Pousada. 

Uma vez executados, os projetos de autorização entre Correntina e Arrojolândia e Barreiras a Luís Eduardo Magalhães terão 83 e 141 km, respectivamente, ambos em bitola larga. O oeste da Bahia é uma referência no agronegócio nacional, sendo que a soja ocupa cerca de 65% da área total cultivada na região. O volume corresponde a 5% da produção nacional e 58% da produção da Região Nordeste. As culturas de milho e algodão também se destacam.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar