Ibovespa
124.305,57 pts
(-0,34%)
Dólar comercial
R$ 5,17
(0,27%)
Dólar turismo
R$ 5,37
(0,22%)
Euro
R$ 5,61
(0,64%)

Rumo capta R$ 686 milhões para projeto de automação da circulação dos trens

Recursos serão destinados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social
Por Redação em 4 de janeiro de 2023 às 10h41
Rumo capta R$ 686 milhões para projeto de automação da circulação dos trens

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anuncia que financiará um projeto de automação da circulação dos trens da Rumo. A iniciativa tem como meta ampliar a eficiência e a segurança operacional da malha ferroviária do estado de São Paulo ao estado do Mato Grosso. A instituição divulga que o investimento será de R$ 686 milhões, destinados a aplicações de recursos em melhorias e ao pagamento de outorgas por meio da linha Finem e da emissão de debêntures incentivadas de infraestrutura.

O apoio do BNDES será dividido em duas modalidades, com uma participação de 80% sobre os itens financiáveis, sendo R$ 434 milhões destinados aos dois primeiros anos de investimentos (R$ 233 milhões para o projeto PTC e R$ 201 milhões para o pagamento de outorgas), que serão viabilizados por meio de emissão de títulos (produto BNDES Debêntures), e R$ 252 milhões para investimentos a serem realizados a partir de 2024 serão financiados pelo produto Finem – Inovação.

Leia mais: Minfra e ANTT autorizam cinco novos projetos de linhas férreas  

A Rumo estima a contratação de 122 pessoas ao longo do desenvolvimento do projeto, concentradas em posições de engenharia, TI e de operações. Também são estimadas 87 pessoas envolvidas diretamente no projeto através das contratadas dos prestadores de serviço.

O projeto da Rumo batizado de Positive Train Control 2.0 (PTC 2.0) é um sistema de despacho de trens projetado para trabalhar com segurança e ser capaz de determinar com precisão a localização, direção e velocidade dos trens ao longo de toda a malha. A empresa garante que este sistema é o que há de mais moderno e dinâmico no mundo para modernização dos sistemas de controle de trens.

Além disso, a tecnologia pode atuar na frenagem de composições ferroviárias antes que ocorram acidentes relacionados a erros humanos, alertar os operadores sobre possíveis problemas e interromper a movimentação se o operador não agir. O PTC 2.0 foi desenvolvido também para prevenir ocorrências como colisões entre trens, descarrilamentos causados por excesso de velocidade, movimento não autorizado em seções da via onde existam equipes de manutenção em atividade, movimento por meio de uma máquina de chave que esteja em posição divergente à estabelecida na licença de circulação.

Leia mais: SPA divulga composição da nova cessionária da Ferrovia Interna do Porto de Santos

A implantação do sistema, informa a Rumo, possibilitará ganhos de produtividade em toda a sua operação Norte, permitindo a aproximação dos trens e mantendo a segurança da operação. Espera-se reduzir o tempo médio do trajeto entre Rondonópolis (MT) e Santos (SP) em 8,6 horas. Também é esperada a redução de cerca de 2% no consumo de combustível, com impacto direto na redução de emissões de CO2.

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência, analisar estatísticas e personalizar a publicidade. Ao prosseguir no site, você concorda com esse uso, em conformidade com a Política de Privacidade.
Aceitar
Gerenciar