Quarta-feira, 28 de julho de 2021 - 12h08
Gestão de frotas 4.0
A evolução da tecnologia na gestão de frotas 4.0 na logística. O que esperar para o futuro?
Autoria de AUGUSTO HENRIQUE MONCLARO, ELAINE CRISTINA FAGUNDES, ELIANIL SOUZA, KELLY VICEINSKES, LUCAS ZOCOLLOTTI, RYAN HENRIQUE CIRINO

Introdução

Com a Revolução Industrial, o mundo corporativo tem passado por uma evolução constante, buscando melhores resultados. Surge, então, a Quarta Revolução Industrial ou o conceito de indústria 4.0. Seguindo esta linha veio a gestão de frotas 4.0 visando tal inovação. Desta maneira, pode-se afirmar que a gestão de frotas 4.0 é a integração da tecnologia e com diferenciação na produtividade e resultados. De modo simplificado esse conceito visa de forma gradativa a melhoria da produtividade e a qualidade tecnológica do trabalho. Para se atingir a perfeição na gestão logística é necessário ter um bom gerenciamento de frotas. Na prática as frotas fazem com que a logística atinja seu principal objetivo, e feitas com uma boa administração, conseguem redução de custos e prejuízos provenientes de problemas com a carga, transporte, entre outros.

Com a evolução da tecnologia as empresas têm que se atualizar para evoluir tecnologicamente e acompanhar essas mudanças, e o setor de transporte também precisou se adaptar.

Frente a este cenário a logística moderna é demasiadamente conectada não só com a tecnologia, mas, principalmente, com seus clientes. Desta forma a Logística 4.0 é possível alimentar uma gestão de frotas rápida, informativa, eficiente e, acima de tudo, rentável.

1.     O que é gestão de frotas 4.0?

O conceito de Logística 4.0 baseia-se no uso de sistemas, equipamentos e plataformas avançadas que podem controlar todos os processos em uma empresa, ou seja, estoque, administração da manutenção da frota, locais de armazenamento e outros são integrados para se evitar desperdícios e aprimorar os trabalhos.

Com a evolução constante no avanço da tecnologia e a evolução organizacional desde a Revolução Industrial, ocorrida na Inglaterra no século XVIII, o mundo industrial sempre vem procurando novas formas de produzir e gerar melhores resultados. Desde então, vem ocorrendo novas revoluções a cada século, sendo nos séculos XIX e XX, na devida ordem, a Segunda e a Terceira Revolução Industrial. Logo, no século XXI, vivencia-se de fato o momento e reavaliando novos horizontes a serem traçados. Sendo assim, o futuro da logística é a gestão de frotas 4.0, visto que com esse novo conceito nos trará possibilidades demasiadamente inovadoras e promissoras. Ou seja, com a indústria 4.0, aplicando a tecnologia para que as empresas se tornem mais lucrativas, com redução de custos e atingindo alta performance. Com o foco totalmente na experiência do capital humano, a gestão de frotas 4.0 aplica a tecnologia para automatização dos processos operacionais e, assim, o gestor terá o controle centralizado em sua mão, tornando o foco principal a gestão e não a operação. Nas versões da gestão de frotas anteriores, era focado em ferramentas que digitalizavam os processos e dependiam do gestor para serem funcionais.

Assim sendo, requeria que o colaborador perdesse muito tempo lançando esses dados no sistema. No entanto, a gestão de frotas 4.0 está focada totalmente em que a tecnologia trabalhe para o gestor, e não o contrário. Tendo em vista isso, o gestor ocupa o seu tempo com as funções gerenciais, sem utilizar energia em detalhes operacionais que se tornam automáticos. É buscando como se adaptar a um mundo logístico que necessita de acompanhamento dos avanços tecnologias que sua empresa conseguirá investir no crescimento. Aliando a isso, também a compreensão de como um software específico irá contribuir pra aplicação dos conceitos da Logística 4.0 e consiga, ter aumento na produtividade, lucratividade e manutenção de sua frota sem a preocupação de ser deixado para trás pelas novas tecnologia ou concorrentes.

1.1 Tendências da gestão de frotas 4.0

A gestão de frotas está atravessando uma nova fase, com o surgimento de novas tendências tecnológicas cada vez mais visíveis.

Sendo assim, para as empresas se manter e melhorar sua competividade no mercado, a necessidade de se focar na gestão de frotas 4.0 visando demostrar as novas tecnologias torando essa transição mais eficiente.

2.     Visibilidade de dados e gestão à vista

Atualmente a revolução que ocorre mundialmente na gestão de dados, posteriormente essa nova abordagem também vem atingindo a gestão de frotas. Nesse sentido, vem surgindo novas soluções na coleta, armazenamento e aplicação dessas informações.

A gestão de frotas 4.0 está possibilitando a coleta e envio de dados de forma digital, através de checklists práticos. Desse modo, vem eliminando-se a utilização de formulários de papel que correm o risco de serem extraviados e rasurados, sem contar os erros manuais. O motorista, por exemplo, que faz a coleta digital de dados da quilometragem do veículo através do checklist digital, está enviando, assim, para um banco de dados que organizará essas informações para facilitar operações. Sendo assim, os dados sobre a quilometragem terão indicação automática para a programação realizar manutenções preventivas e serviços especiais. Podendo assim ter infinitas possibilidades que podem ser executadas com essa prática.

Diante disso, é correto afirmar que a coleta das informações poderá indicar, através da plataforma, status em tempo real para o gestor. Gerando maior agilidade na visibilidade de dados, tornando a gestão de frotas mais transparente e acessível. Por conta disso, a possibilidade de várias equipes dentro da mesma organização terem acesso ao status de um determinado processo. Ainda assim, a facilitação de acessibilidade retira o gestor de frota de uma posição de profissional reativo para um profissional proativo. Perante isto, o gestor não agirá de forma corretiva, correndo atrás da máquina.

Com a inovação da gestão de frotas, o profissional que gerencia esses processos passa a atuar de forma a planejar o fluir do processo, sempre com uma visão panorâmica através do sistema Kanban.

Figura 1 - Visão panorâmica do sistema Kanban. Fonte: Google (2020)

2.1  Mobilidade como serviço

Com a tendência da gestão de frotas 4.0, os transportes passaram a ser um tipo de serviço sob demanda, denominado Mobility-as-a-Service (MaaS), ou mobilidade como serviço. Empresas como a Uber, por exemplo, são aplicações dessa tendência de otimização de recursos. Desse modo, a gestão de frotas 4.0 se utiliza dessa aplicação, trazendo novos horizontes sobre como uma frota deve ser conduzida. Portanto, essa tendência pode atingir novas empresas nos próximos anos, fazendo com que elas ampliem sua utilização na logística. Em outras palavras, significa que uma empresa possa ter frota própria e, ainda assim, contar com serviços de MaaS para atender às suas demandas. Além disso, existe um novo conceito surgindo na Europa, chamado de mobility management. Nesse conceito, o gestor de frotas não se limita a gerir a frota da empresa, mas também atua incentivando escolhas mais sustentáveis e eficientes para a logística.

2.2  Crescimento de uso de automação

A automação exerce grande importância na indústria 4.0, devido a isso, a gestão de frotas se beneficia de tal impacto, visto que a automação nos processos acaba por tornar a gestão de frotas muito mais assertiva e eficiente por meio das tecnologias hoje aplicáveis.

Diante da grande demanda por proatividade, velocidade e melhores resultados dentro da área de frotas é essencial a automação dentro de seus processos, pois através de bancos de dados é possível gerar informações rápidas, em tempo real e com alto grau de precisão juntamente com a utilização da Inteligência Artificial, pois ela é capaz de processar as tarefas e desenvolver soluções práticas e rápidas, otimizando o tempo e trabalho, dois pontos cruciais para uma gestão eficiente.

2.3  Integrações com outros softwares e plataformas via APIs

As Interfaces de Programação de Aplicações (API) poderão integrar diversas ferramentas e aplicativos com o software principal da gestão, a utilização das APIs possibilita a centralização de todas as informações na mesma plataforma, devido a isso expande-se as possibilidades, conectando diferentes bancos de dados externos com o sistema central, gerando, assim, uma unificação de informações.

A partir da compilação de dados oriundos de fontes como informações de fornecedores, sistema ERP, sistema de telemetria, rastreamento, cartões de pedágio, cartões de combustível, entre outras fontes é possível fazer análises mais profundas e abrangentes, identificando facilmente o desempenho de ativos e acompanhando processos através das tecnologias para a gestão de frotas. Com a utilização de um software de qualidade para centralizar tais dados oriundos de diversas ferramentas e aplicativos é possível realizar uma gestão altamente efetiva e precisa.

Frohlich e Westbrook (2001) esclarecem que a essência da integração entre produção e logística é o alcance de um fluxo coordenado de materiais, tanto inbound quanto outbound, o qual permite que as empresas tenham um processo produtivo adequado.

O mercado de terceirização logística no Brasil vem acompanhando a evolução da economia nacional nos últimos anos. Mais maduros, os operadores brasileiros estão se beneficiando de novos investimentos nacionais e internacionais e já oferecem serviços mais sofisticados e de maior valor agregado. Esse movimento vem chamando a atenção das empresas brasileiras. Impulsionadas principalmente por conta de seu próprio crescimento, 36% das industriais no país ampliaram, entre 2010 e 2013 os seus índices de terceirização. O gráfico 1 mostra o índice de terceirização das atividades logísticas entre 2010 e 2013.

Gráfico 1 - Índice mundial de terceirização. Fonte: Google, adaptado pelos autores (2020)

Nos próximos anos, a tendência é que o mercado continue positivo para os operadores logísticos brasileiros. até 2016, conforme mostra a gráfico 2.

Gráfico 2 - Tendência de terceirização nas atividades logísticas até 2016. Fonte: Google, adaptado pelos autores (2020)

A utilização de software para centralizar as informações de dados oriundos de diversos aplicativos e ferramentas, faz com que seja possível a realização da gestão altamente efetiva e precisa. Com isso podemos destacar as seguintes:

·        Controle de entrada e saída de veículos;

·        Visibilidade e organização das informações;

·        Emissão de relatórios e indicadores completos;

·        Notificação de clientes e fornecedores externos;

·        Programação de manutenções e serviços de acordo com a quilometragem.

2.4  Serviços digitais e terceirização

A digitalização e terceirização são duas tendências que vem crescendo principalmente em países desenvolvidos, tal tendência é uma ótima opção para que as empresas possam ir se adaptando a essa gestão de frotas 4.0, visto que na maioria das empresas de transporte estrangeiras seus serviços são terceirizados e digitalizados.

 Nos Estados Unidos, por exemplo, uma pesquisa recente demonstrou que 43% das empresas trabalham com terceirização de seus serviços de frota. Ainda assim, dos 57% que possuem frotas próprias, 39% realizam serviços de gerenciamento e manutenção dos veículos de forma terceirizada. Da mesma forma está ocorrendo a nível nacional, visto que o crescimento da utilização de ferramentas digitais está intenso. A figura 2 mostra gestão de frotas 4.0.

Figura 2 - Gestão de frotas 4.0. Fonte: Google (2020).

2.5  Central e motoristas sempre conectados

Visto a rápida comunicação sendo um dos principais pilares da logística 4.0, seja entre clientes e fornecedores ou entre a central e os motoristas, na gestão de frotas, a tecnologia é capaz de possibilitar a comunicação de maneira instantânea e resolver um problema antes que ele fique maior, essa comunicação também aumenta bastante a segurança no transporte, evitando ou atenuando as consequências no caso de um sequestro de carga, por exemplo, a telemetria e o rastreamento da frota são duas ferramentas que ajudam na verificação do consumo de combustível, monitoramento do trajeto e até mesmo checar a saúde do profissional.

2.6  Redução dos custos operacionais

Com a implantação da logística 4.0 as principais vantagens são a redução dos custos operacionais, devido a uma série de medidas, possibilita também a otimização de trajetos, como os processos e roteirização. Outro meio que gera muita economia e evita prejuízos é o controle mais preciso do estoque.

Há um tempo atrás, utilizava-se um grande estoque, ocupando um grande espaço de armazenamento e, em muitos casos, o risco de a mercadoria ser danificada era maior. Atualmente, se tem aplicativos modernos de controle, tornando possível trabalhar de forma mais enxuta, mantendo somente o necessário. Isso evita muitos prejuízos e auxilia no controle de fluxo de caixa.

Diante disso, um bom sistema de controle de combustível também é uma excelente forma de economizar e tornar as empresas mais competitiva no mercado.

2.7  Otimização dos processos de carga e acondicionamento de materiais

Falando sobre o estoque, principalmente quando os processos de entrada e saída são automatizados, conseguimos gerar um ganho de espaço e tempo de armazenagem. Antigamente era preciso ficar horas a procura de um material ou decidindo onde cada carga seria alocada.

Com a modernização dos controles automatizados, mesmo antes de uma carga chegar ao armazém, seu destino já foi programado para ela da mesma forma, quando for preciso transportá-la novamente, não há mais necessidade de passar horas procurando. A simples consulta, até mesmo em um dispositivo smartphone, poupa o colaborador de muito trabalho desnecessário.

2.8  Roteirização de trajetos

A roteirização dos trajetos é outra grande vantagem da logística 4.0, que permite planejar a rota, fica possível a redução da distância percorrida e exclui a possibilidade de ficar perdido em uma região desconhecida. Como resultado, diminui o tempo da viagem consideravelmente, assim como o desgaste dos pneus e o consumo de combustível.

A logística 4.0 é mais uma ferramenta utilizada para auxiliar o setor de transportes, levando economia, praticidade e segurança. Para aproveitar esses benefícios, deve-se realizar uma análise minuciosa na empresa e ver a possibilidade de como implementá-la afinal, os resultados são muito satisfatórios e valem a pena.

Considerações Finais

Com o decorrer deste artigo foi possível observar que, a gestão de frotas 4.0 vem para trazer as empresas uma nova visão da logística empresarial. Uma nova era vem chegando, com melhoria de resultados e menos esforços. Automatizar processos e reduzir os custos operacionais tem sido uma prática cada vez mais necessária, para se destacar como gestores. Por isso, é fundamental contar com uma empresa que seja referência no mercado,

 Precisamos nos atualizar, pois quem não se atualiza será ultrapassado pelos seus concorrentes no mercado. A gestão de frotas 4.0 conecta a empresa, indústria com o cliente capaz de oferecer as melhores plataformas para uma gestão de frotas 4.0, garantindo a otimização do tempo, possibilitando mais produtividade com menos operacionalidade. Com a integração dos processos de logística e gestão de frotas 4.0 é possível analisar todas as diretrizes e ter total controle e certeza sobre a tomada de decisões em sua frota. Como otimizar custos e viabilizar um retorno financeiro maior, gerando lucros.

 Com o avanço da tecnologia na gestão de frotas 4.0 é possível enxergar, então, um futuro em que o gestor atue de forma planejada, e faça o acompanhando do processo com visão panorâmica, fazendo a tecnologia trabalhar ao seu favor e não só ficar apagando incêndios que poderão ser evitados. Tendo a possibilidade de garantia de novos resultados, atuando de forma mais livre, desempenhando seu papel onde fará diferença para a empresa.

Portanto, é de suma importância que o profissional seja cada vez mais proativo e muito mais eficiente. Por fim, reforçando que a gestão de frotas 4.0 veio para ficar e quebrar velhos paradigmas, dando possibilidade as empresas de alcançarem melhores resultados por meio de uma gestão inteligente, com foco em planejamento e tomada de decisões melhorando ações para que a companhia cresça e se expandindo com êxito e satisfação nos seus resultados.

Referências

https://blog.sempararempresas.com.br/logistica-4-0/ acessado em 15/06/2021

https://sstelematica.com.br/logistica-4-0/ acessado em 15/06/2021

https://pointsistemas.com.br/logistica-4-0-gestao-de-entregas-mytracking/ acessado em 04/06/2021

https://www.prologapp.com/blog/logistica-4-0/ acessado em 04/06/2021

https://www.sofit4.com.br/blog/logistica-4-0/ acessado em 04/06/2021

https://blog.ctf.com.br/logistica-4-0/ acessado em 04/06/2021

https://blog.ctf.com.br/o-que-e-e-quais-sao-os-beneficios-da-roteirizacao-de-transporte/  acessado em 30/05/2021

https://bsoft.com.br/blog/como-fazer-a-gestao-de-frota/amp acessado em 30/05/2021

https://estradas.com.br/nova-tecnologia-ajuda-empresas-na-gestao-de-frotas/ acessado em 30/05/2021

https://veltec.com.br/por-que-investir-em-tecnologia-na-gestao-de-frotas/ acessado em 30/05/2021

FROHLICH, M.; WESTBROOK, R. Arcs of Integration: An International Study of Supply Chain Strategies. Journal of Operations Management, v.19, n.2, 2001. p. 185-200.

Augusto Henrique de Farias Menna Barreto Monclaro, Elaine Cristina Fagundes, Elianil de Cassia Ribas Souza, Kelly Viceinskes, Lucas Alge Zocollotti e Ryan Henrique Oliveira Cirino, sob orientação do professor Anderson Barth, das Faculdades da Indústria (IEL) - Campus São José dos Pinhais (PR)