Segunda-feira, 14 de março de 2011 - 15h08
Vagão para contêineres, da AmstedMaxion
.
De olho nas necessidades do mercado ferroviário, a AmstedMaxion  inicia a produção de um protótipo do vagão Double Stack, modelo que, segundo a empresa, é muito comum nos Estados Unidos e caracteriza-se como uma nova referência no transporte de contêineres.  Os testes com dois protótipos de 1,60m terão início ainda no primeiro semestre de 2011. O vagão Double Stack permite que os contêineres sejam carregados um sobre o outro, dobrando a capacidade transportada pela ferrovia, o que confere a esse modal uma significativa vantagem operacional em relação aos demais.   Neste projeto da AmstedMaxion, foram considerados contêineres padrão ISO de 20` e 40` ou tipo High Cube para ambas as bitolas ferroviárias brasileiras. Os vagões carregados com os contêineres têm uma altura final de seis metros em relação ao nível dos trilhos. Com isso, toda a sua estabilidade a altas velocidades foi analisada, sendo sua suspensão especialmente definida para que todos os movimentos verticais e laterais estejam sob controle.   O sistema de absorção de choques foi calculado para reduzir ao mínimo os efeitos dos impactos provenientes da operação ferroviária em longos trens e o sistema de freio desenvolvido com aplicação automática de pressão variável de força para quando o vagão estiver vazio ou carregado, gerando significativa economia. Durante seis meses a área de Engenharia Ferroviária da AmstedMaxion trabalhou para definir a estrutura desse vagão, calculada por elementos finitos e simulada dinamicamente para que as piores condições de via e carregamento sejam absorvidas em serviço, sem gerar qualquer dificuldade operacional tanto nos terminais de carga quanto de descarga, bem como nas oficinas de material rodante, já que todos os seus componentes são largamente conhecidos e de manutenção dominada pelas concessionárias ferroviárias.   Os elementos desse projeto foram definidos pelo pessoal técnico da empresa a partir de informações obtidas por meio de entrevistas com profissionais da área operacional das ferrovias, em todos os níveis, e com clientes desse modal para incorporar ao vagão todas as necessidades e eliminar as atuais dificuldades do segmento. Também foram realizados benchmarks em vagões similares fora do Brasil, para assegurar as vantagens competitivas e comparativas. www.amstedmaxion.com.br