Quinta-feira, 4 de outubro de 2012 - 12h24
Grupo Pacer expande serviços e amplia área de atuação
Companhia oferece armazenagem, gestão da cadeia logística, outsourcing e transportes. 24 novas unidades reforçam a presença no país

O Grupo PACER, organização que atua em atividades de transporte de cargas fracionadas e de operação logística, anuncia que concluiu seu processo de expansão de serviços e áreas operacionais. Com isso, a companhia passa a oferecer os trabalhos de armazenagem, gestão da cadeia logística, outsourcing e transportes. A abertura de 24 unidades espalhadas pelo Brasil também fez parte do plano estratégico.

O sócio-diretor do Grupo Pacer, Luciano Guedes, explica o porquê das iniciativas. “A empresa deixa de ser apenas uma prestadora de serviço de entregas rápidas e outsourcing logístico, e passará a contar com uma logística integrada e personalizada”, diz. Cerca de 600 funcionários são responsáveis pelas operações.

De acordo com o executivo, a ação também estabeleceu ampliar a presença da empresa no território brasileiro. “Abrimos 24 unidades. Hoje temos 30 e essa capilaridade será fundamental para os negócios, uma vez que atendemos empresas globais”, conta. Guedes calcula que entre R$ 50 mil e R$ 150 mil foram aplicados em cada unidade, dependendo do tamanho da infraestrutura adotada. Hoje, a empresa atua nas regiões Sudeste, Norte, Nordeste e Centro-Oeste. No próximo mês de dezembro, divulga, a região Sul passará a ser atendida.

As iniciativas já refletem na operacionalidade da companhia. Segundo o sócio-diretor, a empresa realizava cerca de 2.500 embarques por mês, movimentando 7.000 itens. “Atualmente, efetuamos 6.000 embarques, num total de 18.000 itens movimentados mensalmente”, demonstra.

Os números trazem otimismo quanto ao desempenho. Guedes revela que, em 2011, a Pacer faturou R$ 25 milhões. Este ano, devido às mudanças, o objetivo é obter R$ 33 milhões de receita. O crescimento contínuo está previsto no plano de ação da empresa. “Até 2015, planejamos alcançar um faturamento anual de R$ 50 milhões e triplicar a área disponível de armazenagem, atingindo 100 mil m²”, salienta.