Quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013 - 15h04
Martelli adquire 100 caminhões extrapesados da Man
Veículos do modelo TGX, lançado no ano passado, serão utilizados no transporte de grãos

O Grupo Martelli, detentor da Martelli Transportes, adquiriu, no início deste ano, 100 unidades do caminhão extrapesado TGX, da Man Latin America. Com um valor aproximado de R$ 400 mil por veículo, a transação entre as companhias soma cerca de R$ 40 milhões. Os novos caminhões serão utilizados no transporte de grãos, segmento em que a transportadora é especializada.

Em janeiro, representantes das empresas se encontraram na fábrica da montadora, localizada em Rezende (RJ), para a entrega técnica, destinada a conhecer melhor todos os aspectos e o funcionamento do veículo. O diretor de Vendas Nacionais da Man Latin America, Antonio Cammarosano, visitou também a sede da Martelli, em Jaciara (MT), para a entrega simbólica dos veículos aos proprietários da companhia, Genir, Hermínio, Clóvis e Luiz Martelli.

Durante a entrega técnica, motoristas da transportadora aprenderam a otimizar o consumo de combustível na utilização do TGX. De acordo com Genir Martelli, que teve a oportunidade de testar o veículo durante sua fase de pré-lançamento, o consumo e o conforto são os principais diferenciais do modelo e constituem fatores que influenciaram a Martelli a adquirir os caminhões Man.

A empresa testou o caminhão por meio do programa Early Warning Fleet da Man, que consiste em disponibilizar uma frota para operações reais antes mesmo do lançamento do produto. Dessa forma, os veículos são submetidos às condições mais severas de estrada, além de diversidades de temperatura, carga e implemento, com o objeto de serem testados e aperfeiçoados.

A linha TGX, que marca a entrada da Man no segmento de extrapesados, foi apresentada ao mercado em abril de 2012. À venda desde agosto passado, o veículo já conta com uma participação de 2% nesse mercado. Para Cammarosano, trata-se de um volume impressionante para um prazo tão curto. O executivo prevê ainda crescimento em 2013, impulsionado principalmente pelo escoamento da produção agrícola brasileira das regiões Centro-Oeste e Sul até os principais portos do país.