Terça-feira, 23 de agosto de 2016 - 15h14
Operação dos Correios durante as Olimpíadas recebe menção honrosa do COI
Estatal se dedica agora à logística dos Jogos Paralímpicos, que começam no dia 7 de setembro

A logística desempenhada pelos Correios durante os Jogos Olímpicos Rio 2016, que se encerraram no último domingo, dia 21 de agosto, recebeu menção honrosa do Comitê Olímpico Internacional (COI) como uma das melhores da história.

Operador logístico oficial do evento, os Correios comemoram o sucesso dos trabalhos, que envolveram a movimentação e a armazenagem de milhares de equipamentos esportivos, de tecnologia e de mobília para as competições, além do transporte das 2.102 medalhas, das 36 mil bagagens das delegações e das amostras do exame antidoping das arenas até o laboratório oficial.

Correios

A empresa realizou também a montagem do mobiliário da vila dos atletas e dos centros de imprensa e coordenou a guarda e a entrega de documentos e objetos perdidos durante as Olimpíadas. E antes mesmo do início dos jogos, os Correios tinham sido responsáveis pela entrega dos ingressos e pelo transporte da tocha olímpica pelo país.

O planejamento estratégico para o maior evento esportivo do mundo começou há três anos. No auge da megaoperação, mais de 2 mil empregados estiveram envolvidos. “Nossa logística para os jogos foi padrão de escala mundial”, afirma o presidente dos Correios, Guilherme Campos, indicando que a empresa mereceu medalha de ouro.

No dia 7 de setembro, terão início os Jogos Paralímpicos, e o time dos Correios já está trabalhando a todo vapor para que tudo funcione perfeitamente. Ainda que as arenas sejam as mesmas, há muitos itens específicos das modalidades paralímpicas, por isso os Correios realizarão intensa movimentação de carga entre o Parque Olímpico e os seus centros logísticos localizados na Barra da Tijuca e em Duque de Caxias.

“Temos tradição em realizar grandes operações, como o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), mas certamente a operação feita nos jogos deixa um legado de conhecimento para a empresa e os empregados, nos credenciando a fazer qualquer operação logística no Brasil e no mundo”, destaca o vice-presidente de Logística dos Correios, José Furian Filho.