Terça-feira, 18 de dezembro de 2018 - 10h11
GLP comemora resultados do ano e projeta um 2019 promissor
Empresa encerra 2018 com 423 mil m² alugados; para o próximo, meta é iniciar a construção de 636 mil m²

A GLP, empresa que desenvolve instalações logísticas, revela que encerra este ano com 423 mil m² alugados, crescimento de 56% comparado a 2017. Depois de ter firmado, em novembro, um contrato built to suit (BTS) junto ao Mercado Livre, a empresa assinou este mês o segundo maior contrato de locação no mesmo modelo com o grupo GPA, que prevê a construção de um galpão de 100 mil m² no Rio de Janeiro, no condomínio GLP Duque de Caxias.

O presidente da GLP no Brasil, Mauro Dias, destaca que o recorde de locação da GLP neste ano é um reconhecimento da qualidade das soluções logísticas desenvolvidas pela empresa. “Além da localização estratégica e da infraestrutura completa, nós oferecemos flexibilidade e inovação para desenvolver empreendimentos que não são apenas galpões logísticos, mas sim soluções modernas e eficientes que contribuem para o crescimento dos negócios dos nossos clientes”, diz.

A taxa de locação do portfólio estabilizado da GLP até a primeira quinzena de dezembro saltou de 92% para 94,27%. Com isso, a companhia alcança uma taxa de vacância de menos de 6% contra uma média de 23% do mercado. “A nossa taxa de vacância, comparada à taxa de mercado, comprova o diferencial do nosso portfólio e o acerto da nossa estratégia de continuar investindo no Brasil para atender nossos clientes com as melhores soluções do setor”, avalia Dias.

Projetos

Os números positivos de 2018 projetam um ano de 2019 promissor. Prova disso são os 2 milhões de m² de terrenos recentemente adquiridos pela empresa, com potencial construtivo de 636 mil m², que serão desenvolvidos ao longo dos próximos anos.

Vale lembrar, porém, que até o final deste ano a GLP ainda investirá R$ 700 milhões para expansão do portfólio no Brasil, somando aquisições de terrenos e obras. Hoje, a GLP tem um portfólio de 4,9 milhões de m² no País, sendo 2,9 milhões de m² construídos e 2 milhões de m² em pipeline de desenvolvimento.