Quinta-feira, 23 de maio de 2019 - 11h16
Scania anuncia investimentos de R$ 1,4 bi em sua planta de São Bernardo do Campo
Montadora aplicará os recursos entre os anos de 2021 e 2024 para modernizar a fábrica a fim de desenvolver produtos sustentáveis

Após anunciar em 2016 um ciclo de investimento de R$ 2,6 bilhões direcionados à operação industrial em São Bernardo do Campo (SP) com conclusão prevista para 2020, a Scania divulga que aplicará outros R$ 1,4 bilhão entre os anos de 2021 e 2024.

O novo valor será utilizado para modernizar a fábrica da montadora. “Estamos há 62 anos no Brasil, sempre acreditando na visão de longo prazo e no potencial do país, e esse aporte reforça nossa jornada em direção ao transporte sustentável”, diz o presidente e CEO da Scania Latin America, Christopher Podgorski.

“Nosso ritmo de investimento tem sido de R$ 100 milhões ao ano, mas agora, para atender às necessidades das novas tendências ligadas ao mundo do transporte, precisamos elevar esse patamar”, acredita Podgorski. O executivo conta que a planta faz parte de um sistema de produção global e que a companhia acaba de lançar um produto embarcado com uma plataforma ligada a futuras tecnologias, recursos que são a base para o que está por vir.

Algumas metas estão traçadas. O foco, por exemplo, será em combustíveis alternativos, especificamente veículos movidos a gás. “A produção de caminhões a gás em nossa planta, planejada para 2020, exemplifica o que reconhecemos como um investimento sustentável, ou seja, bom para os negócios e para a sociedade, e ao mesmo tempo de menor impacto para o meio ambiente”, pontua.

Planejamento

Cerca de R$ 75 milhões serão destinados a alterações no plano diretor da unidade de produção. Além disso, parte deste recurso será aplicada para ampliar e concentrar as instalações destinadas às equipes de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) a fim de melhorar a logística fabril. “As duas iniciativas deixam claro o quão estratégica é nossa operação no Brasil”, destaca Podgorski.

Hoje a fábrica em São Bernardo do Campo abriga um departamento de P&D com 250 engenheiros atuando em paralelo com a matriz na Suécia. “Essa sinergia é fundamental para a qualidade que levamos aos nossos clientes. Atualmente, por exemplo, somos os responsáveis globais pelos testes de validação de veículos em condições severas. Um claro reconhecimento da importância de estar presente na América Latina com esta área”, explica o CEO. O executivo já adianta que a empresa terá um Centro de Pesquisa e Desenvolvimento e entre outras atividades a equipe de P&D está 100% focado na jornada de implementação de combustíveis alternativos na região, especificamente gás natural e biogás.

Para Podgorski, a atualização das instalações prediais, bem como dos equipamentos são fundamentais para que a empresa se mantenha competitiva. “Os investimentos que fazemos na operação industrial brasileira são de extrema importância para a modernização do nosso parque industrial, único a montar um caminhão de ‘para-choque a para-choque’ fora da Europa, o que nos garante assegurar aos clientes que um Scania é um Scania em qualquer lugar do mundo.”

O projeto de mudanças nas instalações será executado em etapas, sendo a primeira delas a melhoria dos fluxos de transporte internos. “Estamos em um processo acelerado de automação nos processos de logística e isso exige que desafiemos as condições atuais, buscando melhorias que tragam resultados tangíveis. Melhor aproveitamento do tempo e espaço, apenas para citar alguns”, enumera o executivo.

Estudos

O novo plano de investimento da Scania chega para suportar ações já em andamento. Recentemente, por exemplo, a Scania e a Citrosuco divulgaram uma parceria para a os primeiros testes com um caminhão que pode ser abastecido com gás natural veicular (GNV) ou biogás. O modelo, um pesado de 410 cavalos de potência, é da nova geração de caminhões da marca. O teste começou na primeira quinzena de dezembro, e o período de análises levará um ano. A rota escolhida é entre os municípios de Matão e Santos, em São Paulo, e movimenta suco de laranja para a exportação destinada a mais de 100 países.

A tecnologia do motor Scania permite rodar com a mistura de ambos os combustíveis. O vice-presidente das Operações Comerciais da Scania no Brasil, Roberto Barral, explica as funcionalidades. “O caminhão movido a GNV/biogás é mais uma exclusividade apresentada pela Scania no Brasil. Trata-se de uma alternativa ao diesel viável, que pode ser implementada em curto prazo e possibilita uma significante redução de custos com combustível”, garante.