Quinta-feira, 23 de maio de 2019 - 12h56
DSV publica documento que define os termos de aquisição da Panalpina
Negociação está avaliada em quase US$ 4,6 bilhões

A operadora logística dinamarquesa DSV definiu os termos de aquisição da suíça Panalpina, em um documento conhecido como Offer Prospectus, ou Prospecto de Oferta. Nele, a DSV confirma que pretende obter controle total da Panalpina e que depois de concluída a aquisição terá início um processo de integração com o objetivo de atingir toda a sinergia e o potencial possíveis com a combinação das duas companhias.

No início no mês de abril a Panalpina aceitou a proposta de quase US$ 4,6 bilhões da DSV. À época, o CEO da DSV, Jens Bjorn Andersen, afirmou que a força da Panalpina nos transportes aéreo e marítimo foi um fator decisivo para a proposta.

“A DSV pretende unir forças com a gestão existente, funcionários e todas as partes interessadas relevantes para criar valor e para a empresa combinada estar melhor posicionada para fornecer uma proposta de valor aprimorada aos clientes”, diz o Prospecto de Oferta. “A combinação entre DSV e Panalpina oferece a possibilidade de realizar sinergias como resultado de similaridades nos modelos de negócios, serviços e estratégias,” prossegue o documento.

Divulgação
Divulgação

Para colocar em prática esse processo, será criado um comitê de integração, composto por dois representantes da DSV e da Panalpina. A DSV presidirá o comitê e terá voto final em qualquer decisão. De acordo com o Prospecto de Oferta, o comitê de integração tem como objetivo “criar uma estrutura de avaliação a ser aplicada para a nomeação de funções regionais e nacionais de gestão e de especialistas.”

Além disso, ele diz que a DSV pretende substituir os membros do conselho de administração da Panalpina. “Todos os membros efetivos do conselho de administração devem renunciar de suas funções e de qualquer de suas subsidiárias quando da liquidação do negócio”. Uma nova diretoria será então selecionada após uma reunião extraordinária de acionistas.

O prospecto afirma que, se o negócio for implementado com sucesso, a companhia combinada será uma das maiores empresas de transporte e logística do mundo, com uma receita de aproximadamente 118 bilhões de coroas dinamarquesas e uma força de trabalho combinada de mais de 60 mil funcionários.