Terça-feira, 18 de junho de 2019 - 12h05
CNT lança segunda edição do Atlas do Transporte
Publicação traz mapas e dados detalhados sobre os diferentes modais de transporte

A Confederação Nacional do Transporte (CNT) lançou neste mês de junho a segunda edição do Atlas CNT do Transporte, que apresenta, por meio de mapas temáticos, informações fundamentais sobre a infraestrutura e a operação dos sistemas rodoviário, ferroviário, aquaviário e aeroviário brasileiros, bem como a integração multimodal do país.

A publicação possui mais de cem mapas que oferecem, com alto padrão cartográfico, informações relevantes da logística e das operações de transporte sob a perspectiva da análise geográfica, contemplando características dos deslocamentos como volumes, velocidades, condições da infraestrutura e aspectos socioeconômicos. O material é dividido por modal e, além de trazer dados de cada segmento do transporte, utiliza informações dos produtos desenvolvidos pela CNT, como o Anuário CNT do Transporte, a Pesquisa CNT de Rodovias e o Plano CNT de Transporte e Logística.

No modal rodoviário, por exemplo, é possível identificar mapas da malha brasileira pavimentada e não pavimentada, federal e estadual, de pista simples e de pista dupla, além das rodovias públicas e concedidas. Já no modal ferroviário, o atlas ilustra detalhes da malha de cada concessionária que opera no país, além de mostrar os principais terminais. A publicação também apresenta onde estão localizadas as principais hidrovias do país, os portos organizados e os terminais de uso privativo (TUPs). Por fim, no setor aeroviário, o atlas identifica os aeródromos brasileiros com voos regulares e traz a distribuição das rotas aéreas, assim como o fluxo das aeronaves e os pontos com maior movimentação de passageiros e de cargas.

Os mapas multimodais representam as infraestruturas dos diferentes modos de transporte de forma conjunta, permitindo visualizar os diferentes sistemas no território nacional, bem como seus potenciais de integração. “A partir da interpretação desse tipo de mapa é possível constatar, por exemplo, que a simples interposição de infraestruturas não significa que exista integração entre elas. Para isso, deve haver dispositivos que viabilizem a transferência entre os modais, seja de cargas ou de passageiros”, conclui o diretor executivo da CNT, Bruno Batista.

“Acreditamos que o lançamento de um atlas dedicado ao setor de transporte contribui de maneira significativa para a construção de um conhecimento especializado do setor, além de possibilitar o registro histórico de informações capazes de promover o aprendizado com a experiência vivenciada pelos próprios transportadores”, destaca o presidente da CNT, Vander Costa.

Além da publicação impressa, a entidade também lançou o site www.atlas.cnt.org.br. Por meio da página, é possível baixar a íntegra do material e também mapas específicos. A primeira edição do Atlas CNT do Transporte havia sido divulgada em 2006.