Terça-feira, 16 de julho de 2019 - 10h44
Kion e BMZ anunciam joint venture para produção de baterias de íon-lítio
Cada companhia deterá 50% de participação da nova empresa

O Grupo Kion anunciou a criação de uma joint venture com a BMZ Holding para desenvolver e produzir baterias de íon-lítio. A nova empresa, chamada Kion Battery Systems, contará com 50% de participação da Kion e 50% da BMZ, que é líder do mercado de baterias de íon-lítio na Europa.

A BMZ está construindo, em sua sede no município alemão de Karlstein am Main, uma unidade de produção voltada para a joint venture. De acordo com a própria Kion, a união das duas companhias vai proporcionar uma cobertura mais abrangente, para atender a necessidade crescente do mercado de equipamentos de movimentação de materiais pelas baterias.

Sede da BMZ Holding, na Alemanha
Sede da BMZ Holding, na Alemanha

Em um primeiro momento, a Kion Battery Systems produzirá baterias de 48 e 80 volts para empilhadeiras de contrapeso. Em seguida, a produção deverá ser ampliada também para baterias de 24 volts para máquinas menores. Essas baterias serão utilizadas nos equipamentos das marcas Linde e Still na Europa, Oriente Médio e África.

A previsão é que até 2023 cerca de 80 funcionários estejam alocados nas áreas de Desenvolvimento e Produção da joint venture. A direção ficará a cargo de Carsten Harnisch pela Kion e de Christian Hasenstab pela BMZ.

A nova empresa faz parte da estratégia Kion 2027, por meio da qual o Grupo Kion dedica sua atenção, dentre outros tópicos, à eficiência energética dos equipamentos de intralogística. Nos últimos dez anos, a companhia vendeu mais de 1 milhão de máquinas elétricas. Somente em 2018, cerca de 80% das vendas foram desses equipamentos.

Com receita global de 7,2 bilhões de euros, a Kion conta com 15 fábricas e 30 mil colaboradores em suas unidades ao redor do mundo. No Brasil, a companhia está sediada na cidade de Indaiatuba (SP) e trabalha com as marcas Linde, Still, Baoli e Dematic.