Sexta-feira, 19 de julho de 2019 - 15h16
Panalpina divulga resultados operacionais do 1º semestre
Companhia obteve lucro consolidado de 34 milhões de francos suíços

A Panalpina, operador logístico e agente de carga global, anuncia que encerrou o primeiro semestre de 2019 com estabilidade nos resultados. De janeiro a junho, a companhia gerou um Ebit de 52,1 milhões de francos suíços (CHF) e um lucro consolidado de CHF 34 milhões, praticamente alcançando os mesmos níveis do ano anterior, quando registrou CHF 54,7 milhões e CHF 36,1 milhões no período, respectivamente.

“Depois que anunciado que a Panalpina e a DSV uniriam forças, nossos concorrentes foram mais agressivos no segundo trimestre do ano em busca dos nossos negócios, mas mantivemos a nossa posição”, diz o CEO da Panalpina, Stefan Karlen. Ele acrescenta dizendo que a queda no lucro bruto foi resultado, principalmente, de margens menores no frete aéreo e de menores volumes do setor automotivo, que apresentou desaceleração. “No entanto, o Ebit e o lucro da companhia alcançaram níveis próximos aos do ano passado. Dadas estas circunstâncias, a estabilidade nos resultados no primeiro semestre é uma conquista respeitável”, completa.

No primeiro semestre de 2019, o lucro bruto da Panalpina caiu 4%, indo para CHF 716 milhões, enquanto as despesas operacionais totais caíram para CHF 558,1 milhões. O Ebit e o lucro consolidado diminuíram na comparação com o mesmo período do ano anterior, em 5% e 6%, respectivamente. O Ebit atingiu CHF 52,1 milhões, em relação aos CHF 54,7 milhões do ano anterior, e a margem Ebit-lucro bruto permaneceu inalterada, em 7,3%. Já o lucro consolidado caiu de CHF 36,1 milhões em 2018 para CHF 34 milhões neste ano.

O volume de frete aéreo da companhia aumentou 5% no primeiro semestre de 2019. No entanto, em comparação com o mesmo período do ano passado, o lucro bruto por tonelada caiu 9%, indo para CHF 659, enquanto o lucro bruto geral diminuiu de CHF 354,6 milhões para CHF 337,2 milhões. De acordo com a companhia, volumes substancialmente menores no setor automotivo levaram a esse declínio. O Ebit e a margem Ebit-lucro bruto do produto aéreo também obtiveram redução, indo de CHF 53,4 milhões para CHF 38,4 milhões e de 15,1% para 11,4%, respectivamente.

O volume de frete marítimo da Panalpina diminuiu 3% em relação ao ano anterior e o lucro bruto por TEU aumentou ligeiramente, indo de CHF 299 para CHF 300, trazendo o lucro bruto geral para CHF 215,9 milhões, enquanto em 2018 foi de CHF 220,9 milhões. No primeiro semestre de 2019, o produto marítimo registrou Ebit de CHF 5,5 milhões, comparado a um prejuízo de CHF 5,5 milhões no ano anterior.

No que se refere às operações logísticas, o lucro bruto registrou queda de 3%, indo de CHF 168,8 milhões para CHF 163,3 milhões, devido à sazonalidade e à desaceleração nos setores automotivo e de tecnologia. No entanto, a divisão expandiu com sucesso os serviços de manufatura em logística e alcançou, no segundo trimestre, o maior Ebit trimestral de todos os tempos. Por conta disso, o Ebit do produto atingiu CHF 8,1 milhões no primeiro semestre de 2019, comparado aos CHF 6,8 milhões registrados no mesmo período do ano passado.

“Em um ambiente macroeconômico e político altamente incerto e de contração do mercado de frete aéreo e marítimo, continuaremos a fornecer nossa almejada expertise tanto para clientes atuais quanto para novos”, diz Karlen. Além disso, reforça, durante as próximas semanas e meses o foco da Panalpina permanecerá em manter a reputação no mercado e em oferecer um serviço de excelência.