Segunda-feira, 5 de agosto de 2019 - 12h25
Estudo da Wilson Sons aponta benefícios da hidrovia
Transporte por caminhões emite 74% a mais de CO2, CH4 e N2O em comparação às barcaças

O Tecon Rio Grande (RS), terminal de contêineres do Grupo Wilson Sons, realizou um estudo sobre a redução de emissão de gases do efeito estufa com a navegação fluvial. O cálculo apresentado mostra que o transporte por caminhões em comparação às barcaças emite 74% a mais de CO2, CH4 e N2O, principais gases responsáveis pelo aumento da temperatura do planeta. Vale lembrar que o terminal opera com os modais hidroviário, rodoviário e ferroviário.

O cálculo utilizou a metodologia GHE Protocol e mediu a quantidade de combustível queimado por cada meio de transporte durante 12 meses no percurso de 300 quilômetros entre as cidades gaúchas de Triunfo e Rio Grande. A análise mostra que os caminhões emitem quase três vezes mais gases do que a barcaça para transportar o volume equivalente a 100 contêineres.

No ano passado, a movimentação de cargas no Tecon Rio Grande pela hidrovia cresceu 120% em comparação a 2017. O Contesc, também do Grupo Wilson Sons e que opera o Terminal Hidroviário de Santa Clara desde 2016, foi responsável por 8% dos TEUs movimentados por Rio Grande em 2018, somados os fluxos de importação, exportação e cabotagem.

“O Contesc traz melhorias para o transporte fluvial no estado e atrai o interesse de empresas da região. Ele ratifica a necessidade de alternativas logísticas para o mercado e nos consolida como um terminal multimodal”, destaca o diretor-presidente do Tecon Rio Grande, Paulo Bertinetti. Localizado a 360 km do porto do Rio Grande, o Contesc opera integrado ao Tecon Rio Grande. São quatro viagens semanais entre as duas unidades, realizadas por duas embarcações.