Terça-feira, 13 de agosto de 2019 - 16h55
Governo federal arrecada R$ 148,5 milhões com leilão de terminais portuários
Três terminais foram concedidos à iniciativa privada nos portos de Santos e Paranaguá

O governo federal realizou hoje, dia 13 de agosto, o leilão de terminais localizados nos portos de Santos (SP) e Paranaguá (PR). Ao todo, foram arrecadados R$ 148,5 milhões com o certame, sendo R$ 147,5 milhões referentes a dois terminais santistas e R$ 1 milhão de um terminal no porto paranaense.

Em Santos, o STS 20, para operações com fertilizantes e sal, foi arrematado pela companhia Hidrovias do Brasil por R$ 112,5 milhões, e o STS 13A, para combustíveis, pela Aba Infraestrutura e Logística por R$ 35 milhões. Já o PAR 01, terminal para celulose no Porto de Paranaguá, foi arrematado pela empresa Klabin, com uma proposta de R$ 1 milhão.

Os contratos são válidos por 25 anos com possibilidade de renovação. “Tivemos neste ano indicadores de competição. Vale lembrar que dois desses leilões de hoje não receberam propostas no ano passado, o STS 20 e o PAR 01. Agora completamos 26 ativos leiloados em 2019, todos com ágio, uma demonstração clara de confiança”, afirmou o ministro da Infraestrutura, Tarcisio Gomes de Freitas.

Divulgação
Divulgação

O secretário nacional de Portos e Transportes Aquaviários do Ministério da Infraestrutura, Diogo Piloni, destacou o valor de investimentos previstos pelos novos arrendamentos em Santos. “São R$ 330 milhões autorizados nesses dois contratos, que vão incorporar ainda mais capacidade ao porto, o maior e mais importante do Brasil.”

O STS 20 tem mais de 29 mil m² e a previsão de investimento é de R$ 219,5 milhões em instalações e compra de equipamentos necessários para melhoria da operação. A Hidrovias do Brasil já possui atividade logística de transporte de grãos e fertilizantes na Região Norte do Brasil e hidroviário nos Rios Uruguai, Paraguai e Paraná.

“O interessante nessa rodada é que temos um novo player no Porto de Santos, que é a empresa Hidrovias do Brasil, controlada pelo fundo de investimentos Pátria. É o mercado de capital entrando no setor de infraestrutura pesadamente. Esse é o movimento que queremos”, avaliou o presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), Casemiro Tércio Carvalho.

Já a Aba Infraestrutura e Logística ampliou sua participação no Porto de Santos com o STS 13A, que tem cerca de 34,4 mil m². A empresa já controla os terminais Adonai, para líquidos, e Concais, para passageiros. Os investimentos estimados somam R$ 111,5 milhões, destinados à implantação de capacidade estática mínima de 70,5 mil m³.