Quarta-feira, 11 de setembro de 2019 - 11h19
Distribuição de produtos controlados é o foco da Moove para este ano
Suprimentos alimentares, dermocosméticos e amostras grátis de medicamentos são movimentados para quatro capitais

A Moove, empresa de logística que atua no transporte de encomendas urgentes, anuncia que este ano irá focar suas operações na distribuição de produtos com certificação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Com sede em São Bernardo (SP), a empresa dispõe de infraestrutura e licença para a entrega desses produtos em quatro cidades: Rio de Janeiro, Salvador, Porto Alegre e Belo Horizonte. A expectativa do CEO da companhia, Guilherme Juliani, é de que o volume de entrega desses produtos cresça de 4 mil para 50 mil por  mês este ano e, até o fim de 2019, o segmento represente 10% do faturamento total da empresa.

A Moove está focando, nesse primeiro momento, no transporte de produtos como suprimentos alimentares, dermocosméticos e amostras grátis de medicamentos. A expectativa do CEO é aumentar gradativamente o volume e o tipo de produto, incluindo a entrega de medicamentos até 2021.

Além disso, a Moove divulga que também vai apostar em expansão de mercado. A empresa está investindo na obtenção de licença para o transporte desses produtos em todas as capitais brasileiras e, aos poucos, ampliará sua atuação até que consiga fazer o transporte em todo o país.

“É claro que, nesse primeiro momento vamos nos concentrar em crescer nas cidades onde já temos a licença, mas nosso objetivo é ir além delas. O mercado de medicamentos no Brasil tem uma característica que é ser muito fracionado, mas a Moove quer entrar nele e operar nacionalmente”, pontua.

Na opinião do executivo, trata-se de um mercado com grande potencial por conta de sua demanda reprimida. Ainda segundo Juliani, como o transporte desses produtos exige uma logística específica e um trâmite para a obtenção da autorização junto à Anvisa, muitas transportadoras não arriscam entrar nesse mercado, deixando espaço para a atuação de poucas empresas.

“De fato, é trabalhoso e custoso se adequar às exigências da Anvisa. É preciso investir em tecnologia e há muita burocracia no processo de obtenção de autorização. Na Moove já temos um sistema de logística bastante eficiente, o que nos ajudou a cortar caminhos nessa corrida pela adequação”, diz.

Entre os principais diferenciais da empresa o CEO destaca o sistema de gerenciamento de armazém, que permite um controle preciso da movimentação dos produtos. Por meio dele, é possível saber quais produtos chegaram, em que momento e qual é o tempo limite de armazenamento sem oferecer risco à sua integridade. Dessa forma, completa o executivo, a empresa aumenta sua eficiência e diminui erros.