Sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020 - 11h51
Friozem investe R$ 15 milhões e coloca em prática seus planos de expansão
Companhia ampliará área operacional das unidades de Fortaleza e do Rio de Janeiro e iniciará serviço de transferência entre as filiais

A Friozem Logística, empresa especializada em transporte, distribuição e armazenagem de produtos alimentícios com temperatura controlada, divulga que definiu os projetos de ampliação das filiais instaladas em Fortaleza e Rio de Janeiro. As obras já estão em andamento e a previsão é de que sejam concluídas no mês de agosto na capital cearense e em setembro na capital fluminense.

O diretor-presidente da Friozem, Fabio Fonseca, anuncia ainda o início do serviço de transferência. O executivo calcula que ao todo serão aplicados R$ 15 milhões nos três projetos.

Em Fortaleza, a unidade que hoje ocupa um terreno de 48 mil m², conta com 7.300 m² construídos. A área total passará a ser de 73 mil m² e, depois de concluídas as obras, a unidade contará com 9.650 m² construídos, 24 docas e 12 mil posições-palete.  “O motivo da expansão foram novos negócios que fechamos na região, principalmente um contrato com um grande varejista”, diz Fonseca.

Já no Rio de Janeiro, o terreno da filial da Friozem possui 36 mil m² e será ampliado para 43 mil m².  O armazém atual tem 19.500 m², 161 mil m³ de capacidade e é dotado de 29.600 posições-palete. Com a ampliação, a estrutura passsará a ter 23 mil m², disponibilizará 215 mil m³, 39.200 posições-palete e 41 docas.  “No Rio existia uma carência, tanto é que estamos ampliando antes mesmo de o armazém completar um ano. Além disso, existiam algumas instalações muito depreciadas na região, e isso também contribuiu para o nosso sucesso em fecharmos com vários clientes”, explica o executivo.

Perspectiva da unidade de Fortaleza após a ampliação

O projeto de transportes é um dos focos da companhia neste ano de 2020. A meta, revela o diretor-presidente, é estruturar uma malha e um serviço de transferência para ligar todas as unidades da empresa. “Hoje, fazemos um trabalho mais dedicado no transporte local das nossas filiais para o ponto final de entrega, na maioria das vezes nas regiões metropolitanas em que estamos. Agora, vamos fazer o transporte de longo percurso e aproveitar as nossas estruturas para melhor atender aos clientes”, conta.

Fonseca adianta que o projeto será iniciado com rotas nos dois fluxos, entre a unidade de São Paulo e as filiais de Salvador, Recife e Fortaleza. Sem revelar detalhes, o executivo diz que o próximo passo é estruturar a malha para a Região Sul.