Quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020 - 10h25
Basf investe em fábricas para suprir crescimento de veículos elétricos
Unidades de materiais para baterias entrarão em operação em 2022 na Alemanha e na Finlândia

A Basf anuncia um novo local de produção de materiais para baterias em Schwarzheide, na Alemanha. A unidade produzirá materiais de cátodo ativo (CAM), que permitirá o fornecimento para cerca de 400 mil veículos elétricos por ano na Europa.

O projeto modular e a infraestrutura da fábrica permitirão o aumento na produção, proporcionado que a companhia atenda à demanda do mercado europeu por veículos elétricos. A nova planta usará precursores que serão industrializados na unidade da empresa em Harjavalta, na Finlândia. O início das operações das duas fábricas está previsto para 2022.

“As fábricas na Finlândia e na Alemanha oferecerão aos nossos clientes o acesso confiável a materiais ativos de cátodo de níquel, sob medida, próximo às instalações de fabricação europeias”, diz o presidente da divisão de catalisadores da Basf, Peter Schuhmacher.

A planta industrial de Schwarzheide utiliza uma turbina a gás e a vapor com eficiência energética que opera com o princípio da geração combinada de calor e energia. Atualmente, ela está sendo modernizada para aumentar ainda mais sua ecoeficiência. Até a fábrica de materiais para baterias ser comissionada, a integração de energias renováveis também está sendo planejada. Já a fábrica em Harjavalta utilizará recursos de energia renovável, incluindo energia hidrelétrica, eólica e com base em biomassa.

No Brasil, a realidade é outra. “Enquanto essas tecnologias não chegam, o potencial maior na região segue com os biocombustíveis, como etanol e biodiesel. A área de catalisadores, que tem produção local em Indaiatuba (SP), está pronta para suportar projetos e desenvolvimentos, atendendo os desafios que estão surgindo”, afirma a diretora da unidade de catalisadores da Basf para a América do Sul, Letícia Mendonça.