Sexta-feira, 20 de março de 2020 - 9h19
Capital Realty investe R$ 30 milhões na expansão do Mega Curitiba
Local ganhará 21 mil m² de área construída, totalizando 66 mil m²

A Capital Realty, desenvolvedora e administradora de condomínios logísticos, anuncia que está investindo R$ 30 milhões para a expansão do Mega Curitiba, condomínio logístico localizado em Campina Grande do Sul, Região Metropolitana da capital paranaense. Com as obras, que começaram no início de janeiro e têm previsão de término no próximo mês de setembro, o local ganhará 21 mil m² de área construída, totalizando 66 mil m². A empresa destaca, ainda, que o Mega Curitiba tem capacidade para chegar a 155 mil m².

“É um momento econômico interessante para investir, pois existe demanda por parte de empresas de consumo. No Paraná, somos o único condomínio logístico em obras de expansão, o que mostra nossa segurança para voltar a investir e atesta que o mercado de galpões está retomando o crescimento de maneira eficiente”, diz o presidente da Capital Realty, Rodrigo Demeterco.

Divulgação

As ações da empresa não param por aí. Sem revelar mais detalhes, a Capital Realty informa que pretende comprar um terreno, ainda neste ano, para desenvolver um nov condomínio logístico em um dos mercados em que já atua.

Atualmente, a companhia conta com um portfólio de mais de 450 mil m² de área construída. Com operações nos três estados da Região Sul, a desenvolvedora e administradora de condomínios logísticos garante que tem capacidade de elevar rapidamente sua área de galpões logísticos.

Planejamento

Os investimentos de 2020 são continuidade daqueles concretizados no ano passado. Em 2019, por exemplo, a Capital Realty destinou uma série de recursos para expandir seus condomínios já existentes. A empresa destinou R$ 60 milhões para a ampliação do Mega Itajaí (SC), aumentando-o em 30 mil m², totalizando cerca de 82 mil m². Todo o novo armazém já está locado.

Ainda no ano passado, a empresa investiu em infraestrutura para um empreendimento em Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre, que poderá disponibilizar até 165 mil m² de área. O complexo será o segundo da empresa no estado, que já conta com um galpão em Esteio, de 60 mil m², operando em lotação máxima e locado por empresas de diversos segmentos.