Sexta-feira, 3 de abril de 2020 - 10h29
Maersk inicia operação ferroviária intercontinental
Serviço AE 19 conecta o Porto de São Petersburgo, na Rússia, ao terminal de Vostochniy, no mar do Japão

A Maersk iniciou as operações de seu primeiro trem intercontinental, que vai do leste do Porto de São Petersburgo, na Rússia, até o Porto Vostochniy, um porto de águas profundas no mar do Japão que se conecta, via modal marítimo, com China, Japão e Coréia do Sul. De acordo com a companhia, a novidade, chamada serviço AE19, oferece alternativas intermodais para os produtores brasileiros que desejam enviar mercadorias à Ásia.

O primeiro trem intercontinental, que partiu no último final de semana de março, foi carregado com madeira compensada e produtos químicos da FCT, principal terminal de movimentação de contêineres na Rússia. Após a chegada em Vostochniy, os contêineres serão carregados em navios de curta distância da Maersk para entrega na Coréia do Sul e no Japão.

O tempo total de trânsito do novo serviço do terminal europeu à Ásia oscila entre 23 e 32 dias, reduzindo pela metade a rota oceânica tradicional, que leva de 52 a 57 dias. A armadora explica que isso significa que as mercadorias podem passar por Roterdã, na Holanda, para a Rússia por via marítima antes de serem carregadas em um trem que atravessa mais da metade do mundo em uma única viagem.

A Maersk reforça que está comprometida em ajudar produtores brasileiros a transportar mercadorias em todo mundo, otimizando espaço nos caminhões, trens, aviões, barcas, depósitos, armazéns e navios. “O serviço AE19 oferece aos nossos clientes não apenas uma solução de entrega mais rápida, mas também um custo mais baixo que o frete aéreo. Até o momento, o serviço foi usado apenas para remessas para o oeste da Ásia para a Europa. No entanto, como o serviço está em constante crescimento desde o início de 2020, isso também permitiu remessas na direção oposta da Europa para a Ásia. A demanda do cliente para desenvolver o serviço para o leste, especialmente nos setores automotivo, tecnológico, químico e industrial, levou ao lançamento de mais esse serviço”, conta o chefe do trem intercontinental da A.P. Moller – Maersk, Kasper Krog.