Sexta-feira, 5 de junho de 2020 - 9h31
Multilog adota novas estratégias operacionais e amplia prestação de serviços
Companhia foca no desembaraço das mercadorias e na digitalização de documentos

A Multilog investiu na consolidação de seus processos a fim de garantir mais qualidade, ampliação na prestação de serviços e mais segurança, reforçando sua estratégia de inovação. Algumas novidades, aplicadas por conta da pandemia, passarão a fazer parte da rotina da companhia. “O momento atual acelerou um processo de transformação pelo qual nos preparávamos. Temos certeza de que esse cenário construiu uma nova rotina, um novo normal”, afirma o presidente da Multilog, Djalma Vilela.

A companhia, que possui mais de 20 unidades no Brasil e nas fronteiras, implementou uma série de medidas que trouxeram inovação para o setor, como a realização de conferência de carga de forma remota. Por sua expertise, foi o operador escolhido na oferta de estrutura para a verificação com desembaraço de importação virtual. Além disso, realizou os trâmites de desembaraço de cargas essenciais, como de álcool em gel e máscaras. Por ser uma das empresas que possui a Declaração de Trânsito Aduaneiro Simplificado (DTA-S), conseguiu tornar o processo até 75% mais rápido.

Divulgação

Outras medidas adotadas pelo player foram as inovações no portal do cliente, o Genius, que permitiram o recebimento de documentos digitalizados oficiais e a realização de maneira virtual do pré-cadastro de Autorização de Ingresso de Exportação nas fronteiras de Uruguaiana (RS) e Foz do Iguaçu (PR). As adequações também garantiram a implantação do cadastro online da Autorização de Transferência de Importação (ATI) em Santos (SP).

Vilela ressalta que buscar o novo fez parte da filosofia desde o início e que o olhar será sempre para como a logística se comportará amanhã.  “Nosso produto depende de carinho e dedicação e, por isso, buscamos garantir desenvolvimento e cuidado com o próximo, seja através de todas as doações realizadas aos municípios ou no relacionamento cotidiano. O mundo está passando por uma transformação e poder participar de uma construção justa, reduzindo as desigualdades, é o que importa”, pontua.