Quinta-feira, 13 de agosto de 2020 - 7h53
Redes de franquias desenvolvem soluções logísticas para suportar crescimento
N1 Chicken se torna operador e Brasileirinho Delivery aposta na descentralização das compras

As franquias N1 Chicken e o Brasileirinho Delivery anunciam que desenvolveram soluções operacionais a fim de melhorar a logística, manter a qualidade dos produtos comercializados em suas lojas e reduzir os custos de operação. As novas medidas também chegam para suportar o crescimento projetado para este ano.

A N1 Chicken, especializada em delivery de frango frito, revela que passou a atuar como operador logístico, adotando uma série de medidas para agilizar as movimentações dos franqueados, que somam 136 unidades. Umas das ações foi disponibilizar um site para comprar insumos para o dia a dia, desde os temperos até as embalagens.

“Isso facilitou a questão de gestão de estoque. Conseguimos centralizar o contato e o franqueado agora pode solicitar com mais facilidade. Além disso, os pedidos chegam com mais velocidade e eles possuem um controle melhor de rastreamento”, diz o sócio-fundador da rede, Thiago Salla. Ainda segundo o executivo, ao se tornar operador logístico foi possível reduzir custos de frete por pedido e o número de erros.

Salla divulga que a empresa apresentou um crescimento de 46% no faturamento de suas unidades durante a pandemia da Covid-19. A expectativa é de um crescimento de 50% nas vendas até o final deste ano.

Já o Brasileirinho Delivery, rede de comida típica brasileira em caixas, decidiu orientar todas as unidades franqueadas – são 114 atualmente – a comprarem os insumos alimentares nos comércios locais, fazendo, assim, com que a economia do bairro onde a unidade está instalada também tenha crescimento.

Há outras mudanças. As caixinhas onde as refeições da rede são servidas, sua produção e distribuição são de responsabilidade, agora, de uma empresa terceirizada, a Shop Franchising. “O parceiro realiza também a distribuição dos sacos, talheres, batata palha, queijo ralado e outros materiais essenciais da rede”, comenta o CEO, Jhonathan Ferreira.

A rede teve um crescimento de 8,35% em seu faturamento desde o início do ano, somando um total de R$ 123 milhões anuais. A expectativa para esse ano é inaugurar 35 unidades e ultrapassar o faturamento de R$ 150 milhões.