Sexta-feira, 28 de agosto de 2020 - 10h51
Iveco inicia teste de caminhão movido a gás natural liquefeito no Chile
Veículo percorrerá por 30 dias a Região Andina num total de 36 mil quilômetros

A Iveco, marca do grupo CNH Industrial, deu início ao primeiro teste de circulação com um caminhão movido a energias alternativas no Chile. O projeto emprega o caminhão Stralis NP 6x2, com motor de 460 cavalos movido a gás natural liquefeito (GNL).

Com o objetivo de percorrer as estradas da Região Andina por 30 dias ininterruptos, com paradas apenas para reabastecer e fazer rodízio de motoristas, o projeto será possível graças ao apoio da Empresa Nacional de Petróleo (Enap), estatal dedicada à exploração, produção, refinamento e comercialização de petróleo e seus derivados. Além disso, a jornada conta com o suporte da estação de carregamento Cryolab e da transportadora Santa Maria.

Divulgação

“O teste que estamos realizando, em conjunto com várias entidades, soma-se aos marcos globais da nossa série Natural Power, linha de produtos da marca que utiliza combustíveis alternativos. Mundialmente, a Iveco tem uma experiência de mais de 20 anos trabalhando no desenvolvimento de tecnologias que proporcionam soluções para as transportadoras e o meio ambiente. Também continuaremos trabalhando em soluções rentáveis para a região”, diz o líder da Iveco na América do Sul, Márcio Querichelli.

A apresentação do veículo, um caminhão acoplado a um tanque da Enap, contou com a participação de autoridades do governo do Chile, da Cryolab e de transportadores. “Temos orgulho de trabalhar por um futuro mais sustentável e lucrativo com o apoio de empresas reconhecidas. O caminhão extrapesado, que atualmente percorre as estradas chilenas, está circulando com um tanque de 60 m³ carregado com gás natural liquefeito que abastecerá o veiculo durante o longo percurso”, conta o diretor Comercial de Exportações da Iveco na América do Sul, Marcelo Leonardi.

O executivo destaca ainda que o modelo será abastecido em uma base de GNL na região de Valparaíso e outra em Ñuble. O percurso é importante, pois se estima percorrer um total de 36 mil quilômetros e abrir um precedente para demonstrar os benefícios e vantagens desse tipo de veículo para o futuro desenvolvimento desse combustível alternativo.

Para colocar o veículo em circulação, uma série de certificações prévias foi realizada para a obtenção da autorização. Em um primeiro momento, foi realizada a homologação com o Centro Chileno de Certificação e Controle de Veículos e, em seguida, a aprovação da primeira estação de serviço para abastecer o caminhão. Ainda foram realizados testes de funcionamento do posto de abastecimento com GNL, assim como o controle do funcionamento, da temperatura e da pressão do gás para o abastecimento do caminhão.

Após a aprovação do veículo pelas entidades, foi realizada a capacitação técnica dos motoristas que farão as rotas chilenas.