Terça-feira, 22 de setembro de 2020 - 10h22
Companhia Docas do Maranhão encerra as atividades após dois anos de processo
Minfra garante que fechamento da empresa representará economia anual de cerca de R$ 8,4 milhões à União

O Ministério da Infraestrutura (Minfra) anuncia que encerrou em definitivo, no último dia 9 de setembro, as atividades da Companhia Docas do Maranhão (Codomar). O ato foi anunciado em assembleia geral extraordinária, que quitou a companhia, pondo fim a dois anos de um processo de liquidação. O fechamento da empresa representará, de acordo com o ministério, economia anual de cerca de R$ 8,4 milhões aos cofres públicos da União.

O secretário executivo do Minfra, Marcelo Sampaio, diz que a  liquidação da Codomar foi o último passo para impulsionar o setor portuário no Maranhão. “A companhia já se encontrava ociosa há dez anos, sem capacidade para investir em melhorias no setor portuário, deixando o segmento à deriva”, afirma. Ainda segundo o executivo, a partir de agora será estruturado um planejamento para atrair investimentos privados que serão necessários para revitalizar a indústria no estado.

Os bens integrantes do patrimônio da Codomar, bem como os portos administrados pela companhia, estão sob gestão do executivo estadual desde 2000, quando foi firmado convênio de administração e gestão do Porto Organizado do Itaqui, em São Luís, do cais de São José de Ribamar, em São José de Ribamar, dos Terminais de Ferry Boat da Ponta da Espera, em São Luís, e do Cujupe, em Alcântara.

Vale lembrar que em janeiro de 2018, a companhia foi incluída no Programa Nacional de Desestatização (PND), para fins de dissolução. A execução das medidas ficou sob responsabilidade do Minfra, sob a coordenação do Ministério da Economia, por meio da Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais.