Quinta-feira, 22 de outubro de 2020 - 10h19
AgregaTech lança transportadora digital AgregaLog
Plataforma disponibilizará em sua base de dados caminhoneiros autônomos para ofertar os serviços de movimentação de cargas lotação e fracionadas

A AgregaTech, empresa que oferece soluções inovadoras de logística e transportes para a indústria e que nasceu e cresceu colocando em prática o conceito de primarização logística ao atender grupos industriais do Brasil, anuncia o lançamento de uma nova operação, sua transportadora digital AgregaLog.

As expectativas da AgregaLog são positivas e a meta é movimentar, até o final de 2021, R$ 100 milhões em cargas lotação e fracionadas, e chegar a mais de 200 mil caminhoneiros autônomos cadastrados em sua base de dados.

O CEO da AgregaTech, Jarlon Nogueira, afirma que a companhia continuará atendendo as empresas interessadas em primarização e a  AgregaLog oferecerá todas as práticas das melhores transportadoras, com o diferencial de explorar tecnologias disruptivas nos processos. “Somos muito mais que um market place de fretes, utilizamos processos digitais para gerenciar, mitigar riscos e oferecer os melhores serviços com integridade e responsabilidade”, diz.

Os contratantes contarão com uma plataforma de gestão em tempo real. Com ela, será possível ter uma visão da operação, desde a oferta e contratação do frete à entrega da carga com painéis intuitivos que levam a tomada de decisão.

Já os caminhoneiros terão à disposição uma conta digital onde os valores dos fretes serão depositados. Todo o controle será realizado por meio do aplicativo AgregaTruck desenvolvido para aproximar e fomentar p relacionamento da equipe da AgregaLog com os condutores. Nesta plataforma o profissional também terá acesso online, entre outras funções, a ofertas de cargas e histórico de viagens.

“Somos capazes de oferecer uma operação mais assertiva já que nos norteamos por modernos pilares tecnológicos como inteligência artificial, machine learning, data science, business intelligence e internet das coisas”, garante Nogueira.