Sexta-feira, 7 de maio de 2021 - 11h08
Marfrig projeta movimentar 42% da produção por ferrovia até o final deste ano
Meta é chegar a 500 contêineres transportados por trilhos utilizando as malhas Norte e Norte-Sul

A Marfrig informa que tem reforçado sua estratégias para adotar cada vez mais o modal ferroviário em suas operação. Atualmente, 30% de tudo que a companhia produz no Brasil é movimentado sobre trilhos e a expectativa é que chegue a 42% até o final deste ano. Em termos de volume, a companhia já aumentou de 50 para 300 contêineres transportados pelo modal ferroviário e a expectativa é chegar a 500 ainda em 2021.

Segundo a companhia, o aumento foi resultado da implementação de um plano de ação da equipe de logística, que tornou mais eficiente o processo de carga e descarga e quase igualou o tempo gasto no transporte ferroviário e no rodoviário.

O diretor de logística da Marfrig, Luciano Alves, lembra que a companhia utiliza exclusivamente a malha ferroviária Norte, entre Rondonópolis, no estado do Mato Grosso, e Santos, em São Paulo. “Para que nossa expectativa de expansão do uso dos trilhos se concretize, demos início ao processo de avaliação de escoamento da produção também pela malha Norte-Sul, que abrange o trecho entre o município de São Simão, em Goiás e o Porto de Santos, em São Paulo”, diz.

Ainda de acordo com o executivo, no início, a carga enviada sobre trilhos demorava 18 dias para chegar ao destino, agora esse prazo caiu para 12 dias, o mesmo tempo gasto no rodoviário para o mesmo trajeto.

Dados da companhia dão conta que a economia nos custos com frete também chama a atenção, crescendo, proporcionalmente, ao aumento do volume que a Marfrig passou a transportar pela ferrovia e hoje chega a 30% a menos que antes. E fortalecendo ações de sustentabilidade de sua cadeia de produção, o aumento da utilização das estradas férreas do país também contribui para a redução da emissão de gases poluentes em 65%.