Segunda-feira, 28 de junho de 2021 - 10h18
Hapag-Lloyd altera processos para maximizar operações e reduzir atrasos
Meta é fazer com que os navios cheguem no dia ou dentro de um dia do ETA – hora estimada de chegada –, conforme indicado na confirmação da reserva

A Hapag-Lloyd informa que tem investido em mudanças nos processos operacionais, incluindo a melhoria da cooperação com terminais, portos e todos as empresas em terra, a fim de reduzir atrasos. O objetivo é fazer com que os navios cheguem no dia ou dentro de um dia do ETA (hora estimada de chegada), conforme indicado na confirmação da reserva. Isso porque, contar com a pontualidade pode trazer benefícios aos clientes, como a redução dos estoques em depósitos e a prevenção do excesso de estoque e armazenamento temporário.

A transportadora anuncia que também está modificando a sua programação e gerenciamento de viagem para fornecer ETAs mais precisos do navio e horários de coleta quando os contêineres serão liberados. Mesmo com a ocorrência de atrasos, ainda que minimizados, a integração de processos operacionais e a previsão de chegada proporcionará aos clientes, segundo a empresa, atualizações mais rápidas, confiabilidade e proatividade, que resultam na melhoria do planejamento.

Os clientes terão acesso à programação ao acessar o Painel do Cliente. Por meio da ferramenta, será possível mensurar o desempenho, posição em comparação à indústria global, além de obter informações com base no Relatório de Desempenho Global Liner, gerado mensalmente pela Sea-Intelligence. Também é possível acessar dados coletados no Carrier Schedule Analysis (CSA), que é desenvolvido internamente pela empresa.

A Hapag-Lloyd divulga que apresentará dados globais em comparação com o mercado, bem como análises adicionais por país. A meta da transportadora é expandir a quantidade de informações que gera em suas operações, eventualmente, até o nível do contêiner individual.

“Reconhecemos plenamente que hoje ainda estamos longe de atingir os níveis de confiabilidade que nossos clientes esperam de nós e de toda a indústria. Atualmente, estamos enfrentando congestionamento maciço em portos e terminais. No entanto, nossas equipes estão trabalhando muito para gerenciar esses desafios e criar mais transparência para nossos clientes. Ao mesmo tempo, nossa organização está mudando processos para melhorar a confiabilidade de nossa programação. O resultado inicial desses esforços é que a Hapag-Lloyd subiu da 12ª em 15ª no Relatório de Desempenho do Sea-Intelligence Global Liner em dezembro de 2019 para a quartaª em abril de 2021”, diz o CEO da Hapag-Lloyd, Rolf Habben Jansen.

O executivo afirma que a meta é pelo menos manter essa posição entre os terços superiores. “Embora esperemos que a situação global nos portos e terminais atinja níveis normais no segundo semestre de 2021, não pretendemos descansar. Em 2022, estabeleceremos para nós mesmos metas específicas sobre a confiabilidade do cronograma que gostaríamos de alcançar”, pontua Jansen.