Quarta-feira, 21 de julho de 2021 - 13h23
Logtech Freto recebe aporte de R$ 22,5 milhões
Marketplace fundado pelo Grupo Edenred anuncia nova fase independente

A Logtech Freto, fundada há dois anos pelo Grupo Edenred, acaba de receber R$ 22,5 milhões em sua primeira rodada de investimentos e anuncia uma nova fase de operação, agora independente da companhia fundadora. A meta do marketplace é se transformar na maior plataforma de cargas da América Latina.

A partir de agora, a empresa passa a ser controlada pelas famílias Corrêa da Silva e Stumpf, empreendedores gaúchos que fundadores ativos como Getnet, Embratec, Saque e Pague e Banco Topázio.

A injeção de investimentos na startup também conta com a família Galló, representada por Christiano Galló, cofundador da Quartz Investimentos e da Edenred Capital Partners, o fundo de venture capital da Edenred. A Edenred Capital Partners terá o papel de apoiar a logtech no ecossistema logístico brasileiro, no qual está presente com a marca Repom, assim como, em um segundo momento, na conquista de mercados internacionais.

Atualmente, o Freto possui mais de 125 mil motoristas e 300 mil veículos cadastrados, além de intermediar mais de 150 mil toneladas de carga por meio de 3,5 mil contratações realizadas diariamente.

Com as mudanças, Thomas Gautier assume como CEO do Freto depois de dez anos no Grupo Edenred. O executivo iniciou sua carreira na França e chegou à Repom em 2013, como CFO. Em 2017, tornou-se diretor geral da Repom e, em 2018, passou a ser head do Mercado Rodoviário, quando, em sua gestão, o Freto nasceu.

“É com grande satisfação que assumo o desafio de liderar o Freto em seu novo momento e levar a empresa rumo a um novo horizonte. Desde o nascimento da logtech, pude mapear, em trocas com clientes, as dores e ineficiências em suas operações. Entre as principais queixas estavam a perda de tempo para localizar um transportador adequado. Na outra ponta, também escutava as dificuldades dos caminhoneiros e o desejo deles de ter acesso a mecanismos que lhes permitissem encontrar cargas e rentabilizar”, afirma Gautier.

O Freto também atua como um broker 100% digital, indo além da conexão entre embarcadores e caminhoneiros. Essa unidade de gestão logística atende grandes produtores de grãos, açúcar, siderúrgicas, fabricantes de papel e celulose e cimenteiras, atuando como um braço logístico da indústria e oferecendo atividades como análise das rotas, controle de fluxos e custos.