Sexta-feira, 23 de julho de 2021 - 10h12
Companhia Brasileira de Logística recebe prêmio Melhores do Ano da Raízen
Empreendimento do Grupo Interalli foi reconhecido pelas ações quanto à saúde, segurança, meio ambiente, auditorias, qualidade, processos, produtividade e controles operacionais

O terminal de líquidos da Companhia Brasileira de Logística (CBL), empreendimento do Grupo Interalli, com operação no Porto de Paranaguá (PR), conquistou o segundo lugar na premiação Melhores do Ano – Safra 2020/2021, promovida pela Raízen.

O reconhecimento avaliou o nível de segurança e padrão operacional em mais de 20 terminais portuários operados pela Raízen em todo o Brasil. Também foram analisados critérios relacionados à saúde, segurança, meio ambiente, auditorias, qualidade, processos, produtividade e controles operacionais.

Para o diretor do Grupo Interalli, Fabrício Slaviero Fumagalli, o resultado da premiação demonstra o comprometimento e a eficiência de todos os envolvidos na operação de um dos terminais mais modernos nesta área. “A CBL tem apenas três anos de atividades. No entanto, desde o início, priorizamos eficiência, produtividade e o bem-estar coletivo, prestando serviços de qualidade, com responsabilidade.”

Divulgação

A empresa anuncia que foi a que obteve a melhor colocação na região Sul e, em todo o país entre as empresas avaliadas, ficou apenas atrás da Stolthaven, empresa multinacional com operação em Santos (SP).

O gerente geral do terminal da CBL em Paranaguá, Carlos Camillo Junior, reforça que o compromisso do terminal é buscar resultados operacionais de excelência com base nos principais valores firmados pela alta gestão – segurança em primeiro lugar, conduta ética, qualidade nas operações e preservação do meio ambiente.

“Em 3 anos de operação, estar em segundo lugar entre os terminais operados pela Raízen é uma grande conquista e satisfação, já que a empresa exige altos padrões de qualidade e, principalmente segurança operacional. Isso nos desafia e estimula a sermos cada vez melhores em nosso segmento”, diz Camillo.