Terça-feira, 10 de agosto de 2021 - 10h54
Terminais da Wilson Sons são destaque em ranking da Antaq
Tecon Rio Grande ficou em sexto colocado e o Tecon Salvador em décimo na modalidade de navegação com escalas em portos de mais de um país

A Wilson Sons informa que vem tendo destaque nas operações de longo curso em seus terminais de contêineres, localizados no Rio Grande do Sul, Tecon Rio Grande, e na Bahia, Tecon Salvador. Ocupando sempre posições entre os dez principais terminais portuários do Brasil nos últimos três anos, em 2020 o Tecon Rio Grande ficou em sexto colocado e o Tecon Salvador em décimo na modalidade de navegação com escalas em portos de mais de um país, conforme dados da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). Somados os dois, isso representa a quarta colocação entre os terminais brasileiros.

Os principais destinos do terminal gaúcho em 2020 foram Estados Unidos, com 14%, e China, 12%, posições que se invertem em relação à importação – 22% da China e 11% Estados Unidos. Já no terminal baiano a Europa divide com a China tanto em exportações (28% e 26%, respectivamente) quanto em importação, quando também trocam posições (35% China e 29% Europa).

Com atuação comercial no Brasil e no mundo, tanto Tecon Rio Grande como Tecon Salvador exercem papel na movimentação de cargas em longo curso em suas regiões. O Tecon Salvador é o principal porto para esta finalidade na região Nordeste do País, enquanto o Tecon Rio Grande é o quarto maior na região Sul do Brasil. Ambos são reconhecidos por oferecerem uma alternativa segura e confiável para armazenagem e movimentação dos mais diversos tipos de carga.

“O investimento continuado em infraestrutura, como a recém duplicação do cais de atracação, passando a 800 metros lineares e expansão da retroárea, logística 4.0 e equipes especializadas, associados às características singulares de acessibilidade marítima e terrestre, são essenciais para que o Tecon Salvador siga como referência para o mercado. Já são mais de R$ 900 milhões investidos desde que iniciamos as atividades no terminal”, ressalta o diretor executivo do Tecon Salvador, Demir Lourenço.

Já o diretor-presidente do Tecon Rio Grande, Paulo Bertinetti, comenta o bom desempenho do terminal gaúcho na modalidade de longo curso. “O Tecon Rio Grande é um dos mais importantes terminais de contêineres do País e uma das instalações mais competitivas na América do Sul. Desde o ano passado, passamos a contar com um novo calado apto a receber navios de grande porte. Com localização estratégica e equipamentos de ponta, o Tecon Rio Grande caminha para ser um terminal concentrador de cargas do Cone Sul. Hoje, já recebe as principais linhas marítimas que conectam a região do Mercosul com os mais importantes portos estrangeiros na Europa, Ásia e América do Norte.

Recordes

Em 2021, o Tecon Salvador registrou, em junho e no primeiro semestre do ano, o maior volume de contêineres movimentados desde o início das suas atividades, iniciada há pouco mais de duas décadas.  O desempenho na movimentação semestral cresceu pelo terceiro ano consecutivo, sendo 155.848, 159.471 e 184.481 TEUs em 2019, 2020 e 2021, respectivamente. A importação obteve destaque neste semestre superando recorde no mesmo período, com 42.340 TEUs, e também as cargas de transbordo, com 24.538 TEUs.

A  cabotagem alcançou 38.510 TEUs movimentados, crescimento de 20% em relação a 2020.  A maior representatividade de cargas no período ficou por conta dos produtos químicos e petroquímicos, polímeros diversos, além de celulose e papel.

Junho deste ano também foi o melhor dos últimos cinco anos, com a movimentação de 28.708 TEUs, aumento de 6,3%. O transbordo movimentou 3.779 TEUs e a cabotagem 5.671 TEUs, o que representa um crescimento de 8,6% no modal com relação ao ano anterior. O atendimento aos projetos fotovoltaicos e aos segmentos de químicos, petroquímicos, polímeros diversos, além de celulose e papel, foram os grandes destaques.

O Terminal de Contêineres do Porto de Salvador está em fase de nova expansão, com duplicação de cais e retroárea adicional de 30 mil m² já concluídos e conta com infraestrutura similar às dos maiores portos do mundo. Suas atividades dispõem de logística 4.0 e de equipamentos com tecnologia, que inclui 3 STS New Panamax, 3 Super Post-Panamax, 3 STS Panamax e 16 RTGs elétricos, todos com sistema regenerativo de energia.