Sexta-feira, 3 de setembro de 2021 - 11h38
Mira Transportes investe R$ 100 mil e cria Programa de Privacidade
Objetivo é proteger os dados manuseados pela empresa e adequar processos à Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais

O Mira Transportes anuncia que criou um Programa de Privacidade com o objetivo de proteger os dados manuseados pela empresa. O projeto é guiado por um comitê composto por profissionais de diversas áreas e vem sendo implementado desde o início do ano para adequar os processos da companhia à Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD).

A diretora Administrativa Financeira do Mira Transportes, Margarida Pedra, conta que o comitê criado para gerir o projeto continuará os trabalhos ao longo do ano, a fim de criar uma ponte entre os proprietários dos dados e o Mira. “Como parte das mudanças, estamos também trabalhando na conscientização dos nossos colaboradores para que saibam da importância da lei e dos novos processos. Queremos garantir que essa revolução aconteça com o máximo de zelo e respeito aos nossos clientes, colaboradores e parceiros de negócios.”

Ao todo, a empresa divulga que o investimento na iniciativa supera os R$ 100 mil e inclui ações que vão desde a contratação de consultoria especializada até a adoção de software de gestão de segurança da informação.

Para promover as mudanças necessárias, o Mira Transportes contou ainda com a consultoria da Compliance Control e, desde o início do ano, vem mapeando todos os seus processos para adequá-los ao que exige a LGPD. A ação garante, de acordo com a companhia, além da preservação dos dados, que as determinações estejam em toda a cultura organizacional, em especial das áreas Jurídica, de Compras, Financeiro e Recursos Humanos (RH), considerada uma das mais sensíveis por lidar com informações de praticamente todas as pessoas que, direta ou indiretamente, se relacionam com a empresa.

Margarida diz que cada atividade, desde o recrutamento e seleção até a parte de desenvolvimento de pessoas, vem sendo detalhada, analisada e adequada ao que a lei determina. “O RH é um dos grandes pontos de atenção da LGPD. Tratamos os dados pessoais para identificar ou qualificar se existem informações sensíveis.”

Ela cita como exemplo o fato da empresa não mais aceitar a entrega de currículos diretamente em sua sede, recebendo-os apenas por via digital. “Essa medida é para garantir que somente pessoas autorizadas possam ter acesso aos dados contidos nesses documentos”, esclarece.

Segundo Margarida, a implementação do projeto vai além da adequação à LGPD. “Não estamos apenas buscando cumprir a legislação. Temos uma preocupação no relacionamento com nossos parceiros, clientes, fornecedores e colaboradores. Nosso objetivo é proteger todos os dados pessoais e sensíveis, trazendo benefícios para todas as partes envolvidas.”