Sexta-feira, 10 de setembro de 2021 - 14h36
Recuperação de caminhões pelo Grupo Tracker bate recorde
Índice já chegou a 86,7% neste ano de 20021

O Grupo Tracker, companhia que atua com rastreamento e localização de veículos, anunciou que está perto de atingir um índice de 90% de recuperação de caminhões. Neste ano de 2021, ele já chegou a 86,7%, muito acima das demais prestadoras do serviço do mercado, que têm percentual médio de 60%, de acordo com o próprio Grupo Tracker.

Nos estados de São Paulo, Mato Grosso, Espírito Santo, Pernambuco e Rio Grande do Sul o índice de recuperação já está acima dos 90%. “Todos os nossos equipamentos são munidos com a única tecnologia do mercado inume a interferência dos inibidores de sinais, utilizados pelas quadrilhas especializadas em roubo e furto de veículos pesados” afirma o diretor Comercial do Grupo Tracker, Rodrigo Abbud. A companhia desenvolveu uma combinação de tecnologias que agrega radiofrequência com LBS (serviços baseados em localização) ou radiofrequência com GPS (sistema de posicionamento global).

O Sistema Inteligente de Detecção de Jammer é outro diferencial. Com ele, o rastreador detecta automaticamente a interferência de inibidores de sinais em locais próximos a veículos equipados com rastreadores da companhia. “Muitos clientes são avisados pelo próprio comando de operações sobre a ocorrência, assim que o ruído do inibidor de sinal na frequência é identificado. Nos antecipamos aos criminosos”, explica Abbud.

O executivo ressalta ainda que a combinação de tecnologias permite a expansão do parque de antenas móveis de escuta. “Além das 700 antenas fixas espalhadas nas cinco regiões do país, temos em nossa estrutura mais de 10 mil antenas móveis, que são equipamentos Tracker instalados e circulando pelas ruas e estradas de todo Brasil”. Equipes de pronta resposta, aviões e helicópteros, estrategicamente posicionados 24 horas por dia, complementam a estrutura.

“Em 2021, o percentual de caminhões recuperados com aviso em até uma hora após a ocorrência está em 99,1%. Esse índice cai a cada hora transcorrida do evento”, afirma o coordenador do comando de operações do Grupo Tracker, Vitor Correa. Ele explica que também é muito importante que a pessoa que vai avisar sobre o ocorrido tenha o maior número de informações possível. “Origem, destino, se o caminhão está carregado ou vazio, se tem outro tipo de tecnologia embarcada, se já foi vítima de outro delito na região, se tem sensor para passar em pedágios. Com os dados em mãos, nossos especialistas vão traçar a estratégia de buscas mais assertiva e aumentar a chance de trazer o bem de volta”, finaliza.