Segunda-feira, 4 de outubro de 2021 - 10h47
Fábio Souza assume lideranças das Operações Comerciais da Scania no Brasil
Executivo, que atua na montadora desde 2001, ocupa o cargo de vice-presidente e diretor geral

A Scania anuncia que Fábio Souza é o vice-presidente e diretor geral das Operações Comerciais no Brasil. Souza sucede a Roberto Barral, que nos últimos cinco anos vêm sendo o principal executivo das operações comerciais no país, e que ocupa, agora, posição estratégica na Europa.

O novo vice-presidente e diretor-geral é graduado em engenheira industrial pela Fei, com pós-graduação em administração de empresas e marketing pela ESPM. Possui, ainda, especialização em administração e gestão pela Stockholm School of Economics (Suécia).

Souza iniciou sua carreira na Scania em 2001 como analista de peças. Em 2004, liderou a gestão de precificação de peças para a América Latina. Em 2006, foi para a Scania México para atuar como gerente de Serviços e três anos depois se tornou diretor da área. Em 2013, retornou ao Brasil para assumir a diretoria de Serviços. Ainda foi o responsável por introduzir na empresa no Brasil a conectividade nos caminhões e ônibus e o programa de manutenção flexível, com cobrança por km rodado e pagamento por faixa de consumo de combustível. Na posição ficou até 2019, quando foi nomeado diretor-geral das Operações Comerciais da marca na África do Sul. No país africano, Souza também é membro do Board da Scania Soluções Financeiras e responde pela vice-presidência de veículos pesados da Naamsa, associação local das fabricantes de veículos automotores.

“Temos um mercado importantíssimo para a Scania e esta posição de destaque foi conquistada devido à excelente atuação da equipe brasileira para entregar mais resultados aos clientes. O meu principal desafio é manter este legado e, ao mesmo tempo, continuar conduzindo a marca na liderança da transição para um setor de transporte mais sustentável. Vamos avançar ainda mais nesta transformação ao lado dos clientes e da nossa competente rede de concessionárias”, diz Souza.