Segunda-feira, 2 de abril de 2007 - 15h58
GKO apresenta novo modelo de negócios

Investimento menor e despesa associada ao número de CTRCs são características do novo modo operacional

Para superar este ano o crescimento no faturamento de 25% obtido em 2006, a GKO Informática – cujo carro-chefe é o software GKO Frete, para a gestão de fretes em embarcadores – está apostando em uma nova opção de modelo operacional que permitirá aos clientes praticamente eliminar os investimentos em infra-estrutura, além de associar as despesas pelo uso do sistema ao volume dos fretes contratados e aos recursos utilizados do software.

“No modelo tradicional, a empresa que contrata o software utiliza seus próprios recursos de infra-estrutura, ou seja, os servidores e o sistema de gerenciamento de banco de dados, lançando mão do que estiver disponível ou fazendo novos investimentos para aproveitar a ferramenta”, explica Ricardo Gorodovits, diretor Comercial da GKO. “Além disso, os usuários estão encarregados de operar o sistema de forma completa, monitorando os processos de integração com as transportadoras, a inserção de dados, a verificação e o diagnóstico”. Neste modelo, o investimento se baseia em um investimento inicial mais elevado, para cobrir a cessão do direito de uso e os serviços de apoio à implantação.

O novo modelo de negócios foi criado em parceria com a Cometa Soluções, empresa criada no ano passado pelo Rapidão Cometa com o objetivo de prestar um amplo leque de serviços logísticos, agregando um time de experts, cada qual em sua área específica de atuação (para mais informações, veja matéria publicada na edição de outubro de 2006 da revista ou no endereço www.tecnologistica.com.br/site/5,1,26,15501.asp).

O embarcador que contrata o software no modelo GKO/Cometa Soluções pode fazê-lo de duas formas: na primeira opção, ele contrata o uso integral do sistema, pagando a cessão de direito de uso por meio de um valor por CTRC gerenciado (as opções para outros modais, BL ou AWB, também estão disponíveis). O sistema fica instalado na GKO/Cometa Soluções, com banco de dados também disponibilizado por eles, e o sistema é acessado pelos usuários remotamente.

Na segunda opção, a contratação é por funcionalidade, correspondendo a cada função contratada (auditoria, romaneio, simulações, acompanhamento de entregas, ocorrências, avaliação de qualidade, integração contábil e fiscal) um valor por CTRC gerenciado pelo sistema. O sistema também fica instalado remotamente, operado por profissional e com infra-estrutura pertencente à GKO/Cometa Soluções.

“Nos dois modelos, o investimento inicial é muito menor: no primeiro, persiste ainda a parte relativa ao apoio à implantação, e, no segundo, um valor reduzido para um número menor de dias de treinamento àqueles que irão acessar o sistema”, afirma Gorodovits. “Em ambos, os valores mensais são variáveis, de acordo com o número de CTRCs mensalmente embarcados, de forma que as empresas pagarão apenas pelo uso efetivo do software”.

A novidade já está em curso na Siemens Equipamentos de Comunicação. A empresa contratou o GKO Frete no primeiro dos modelos, ou seja, com a operação completa realizada por profissionais da própria Siemens, porém terceirizando-se a infra-estrutura e com as despesas calculadas de acordo com o número de CTRCs.

Ainda para superar o crescimento de 2006, a empresa espera os resultados das medidas implantadas no ano passado, quando ampliou a estrutura de atendimento ao cliente e também a área comercial e de consultoria.  O crescimento previsto para 2007 leva em conta também a abertura de uma filial em Porto Alegre, prevista para este primeiro semestre, com a finalidade de aumentar a proximidade às empresas localizadas na região Sul. O Mercosul também está nos planos da GKO, que no momento negocia com organizações da Argentina e México.

www.gko.com.br