Quinta-feira, 26 de abril de 2007 - 12h32
Poli realiza simulação para a CVRD

Análises possibilitam aumento de horário de manobras de navios e aumento de toneladas movimentadas em terminal

O laboratório do Centro Tecnológico de Hidráulica (CTH), da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) realizou, no último dia 12 de abril, a milésima simulação de manobras de navios no Terminal Portuário de Ponta da Madeira, em São Luiz, pertencente à Companhia Vale do Rio Doce (CVRD).

Realizado no laboratório do CTH em um modelo físico, o objetivo da simulação foi ampliar as chamadas janelas operacionais de maré. Um dos integrantes do CTH, Rogério do Amaral, explica que na Baía de São Marcos, local onde se localiza o terminal, a variação entre as marés alta (preamar) e baixa (baixa-mar) pode chegar a sete metros. Com a simulação, os pesquisadores do centro e da CVRD verificam se é possível aumentar ainda mais a eficiência do porto, estendendo suas operações enquanto a maré está baixando ou subindo.

Para estas análises, o trabalho consistiu em reproduzir o Píer II do porto real em uma escala 170 vezes menor. Após isso, os pesquisadores realizaram manobras de atracação e desatracação de um navio rádio-controlado reduzido na mesma proporção.

Vale lembrar que os teste são realizados antes em laboratório devido aos custos envolvidos em qualquer obra portuária, como reforma, ampliação ou construção de novos píeres, além de novos tipos de manobras. O tanque de mil metros quadrados utilizado pelo CTH, chamado de Modelo Físico do Complexo Portuário de Ponta da Madeira e da Área Portuária do Maranhão, é uma miniatura do porto e de parte da Baía de São Marcos.

Os ensaios e a análise dos resultados está sob responsabilidade dos pesquisadores do CTH. Porém, quem comanda as manobras de pequeno navio é um prático do Terminal de Ponta da Madeira.

Resultados

O professor Paolo Alfredini, chefe dos pesquisadores, comenta que os ensaios com manobras são realizados desde 1993. Ele explica que, desde a inauguração do terminal em 1986, ficou estabelecido que o tempo de manobras em Ponta da Madeira seria de seis horas. Contudo, foi verificado que este período de tempo fazia com que o porto ficasse por muitas vezes ocioso à espera do horário de maré adequado.

Após a realização dos estudos, ficou comprovado que se a CVRD utilizasse dois rebocadores de 75 toneladas cada, esse tempo poderia ser ampliado para entre 12 e 14 horas. Antes contudo, foi necessário realizar os testes reais nos píeres I e III. As análises começaram em dezembro do ano passado e se estenderam até este mês. “A Capitania dos Portos autorizou e a regra liberando o novo horário de manobras começa a valer dia 1° de maio”, diz.
Os teste reais no píer II tiveram início ontem, dia 23 de abril. A previsão é de que estejam concluídos entre três e quatro meses.

Para a CVRD, a liberação é sinônimo de produtividade. Segundo o professor, o incremento esperado na movimentação é de 10 a 12 milhões de toneladas por ano. Atualmente, em Ponta da Madeira o índice é de 90 milhões de toneladas por ano.

A autorização também fez com que a companhia desacelerasse a construção do píer IV. Agora, a previsão é de que as obras estejam concluídas em 2009, tornando o terminal da CVRD no Complexo Portuário de Ponta da Madeira o maior em movimentação de cargas da América Latina, operando cerca de 130 milhões de toneladas anualmente.

O trabalho realizado para a CVRD pode ser efetuado para outras empresas portuárias que desejem utilizar o Simulador Analógico de Manobras. Os contratos são firmados por intermédio da Fundação Centro Tecnológico de Hidráulica (FCTH), entidade de direito privado e sem fins lucrativos que, entre outros objetivos, visa realizar estudos e pesquisas tecnológicas a fim de atender as necessidades dos setores público e privado.

www.fcth.br

www.cvrd.com.br